BATE PRONTO 76

A publicação dos números da pesquisa do instituto P&A pelo Alagoinhas Hoje movimentou o ambiente político do município no final de semana. Os grupos de WhatsApp e Facebook registraram manifestações frenéticas. Contra, e a favor, dos resultados. A empresa, para quem lida com política profissionalmente, é referência há quase três décadas na Bahia. O Alagoinhas Hoje cumpriu sua principal missão: informar a sociedade alagoinhense com exclusividade e imparcialidade. Doa a quem doer. Até a próxima coluna.

PESQUISA DE OPINIÃO EM

Pesquisa I

No geral, a avaliação dos nomes constantes na pesquisa P&A não é nada boa. Os políticos não são bem vistos pela comunidade. Alguns exemplos (apenas os publicáveis, porque existem muitos impublicáveis): “Não confio nele, é conversador, falso, não faz o que promete”; “Já teve oportunidade e não fez nada pela cidade, não gosto dele e nem da família”; “É incompetente, puxa saco, não tem compromisso com o povo”; “Foi prefeito, não fez nada pela cidade, não vai fazer aqui”.

Pesquisa II

Os entrevistados não pouparam os políticos: “Ele passa, não fala com as pessoas, não atende e não ajuda ninguém”; “É despreparado para ser prefeito, inexperiente, não tenho simpatia”; “Não tem pulso para ser prefeito”; “Só aparece na eleição para pedir voto e depois some”; “É metido, prepotente, não vou com a cara dele”; “Não conheço seus projetos”.

Pesquisa III

Mal na fita: todos os possíveis candidatos do prefeito Paulo Cezar possuem altos índices de rejeição: Harnoldo Azi, 31,7%; João Rabelo, 26,7%; Sonia Fontes, 26,5%; José Edésio, 23,7%; Roberto Torres, 23,0%. No decorrer da campanha, naturalmente, estes índices tendem a crescer. Rejeição acima de 40%, segundo estudos da ciência política, inviabiliza as pretensões de postulantes a cargos majoritários.

Pesquisa IV

Os candidatos cezistas enfrentam grave problema em termos de marketing político: suas rejeições estão muito acima das intenções de voto, em alguns casos de até sete vezes. Ou seja, têm pouco espaço para crescer. Rejeição alta indica baixíssima margem de manobra.

Pesquisa V

A situação também não é boa para Gustavo Carmo, com rejeição de 22% e intenção de voto abaixo de 15%. Com sinais trocados, terá dificuldade para prosseguir e se viabilizar, se não mudar a percepção da sociedade sobre ele. Radiovaldo Costa também precisa ficar atento a este aspecto, relevante para quem deseja disputar pela primeira vez uma campanha majoritária.

Pesquisa VI

Com rejeição abaixo de suas intenções de voto, o médico Joaquim Neto, no momento, experimenta a melhor situação. Índices consideráveis de opções por seu nome e patamar relativamente baixo de rejeição, o que indica, se o cenário permanecer mais ou menos equilibrado, condições reais de disputar a Prefeitura de Alagoinhas.

Pesquisa VII

A população não reconhece como produtiva a atuação da maioria dos vereadores de Alagoinhas. Problema político e de comunicação. Político, na medida em que uma mesa diretora, apática e aparentemente sem rumo, não consegue se aproximar da comunidade. De comunicação, porque em tempos tão velozes, a velha assessoria de comunicação, com dificuldades estruturais, é incapaz (não incompetente) de dar conta de tantas demandas. A pesquisa da P&A é um norte a ser seguido. É preciso fazer algo. Antes tarde, do que nunca.

Pesquisa VIII

Menos de 1% dos entrevistados fez referência ao fato da secretária de Infraestrutura e Planejamento Urbano, Sônia Fontes, ser uma estrangeira. Portanto, sua naturalidade não inviabilizará as pretensões que acalenta de ser a candidata do grupo cezista. Este discurso, usado muitas vezes por políticos ligados ao prefeito, não tem importância para os eleitores. E menos ainda para o chefe do Executivo.

Pesquisa IX

A pesquisa P&A reforça os nomes do prefeito Paulo Cezar e do deputado estadual Joseildo Ramos como os dois principais líderes políticos de Alagoinhas, a despeito de tanto tempo na ribalta eleitoral. O apoio de PC a um candidato é importante para 52,5% do eleitorado. Para 44,7% dos entrevistados, o apoio de Joseildo é relevante.

Pesquisa X

A publicação, com exclusividade, da pesquisa da P&A pelo Alagoinhas Hoje ensejou o aparecimento nas redes sociais de muito idiotas travestidos de analistas políticos e metodológicos. Surgiram questionamentos estapafúrdios, sem nexo ou qualquer conexão com a realidade dos fatos. Alguns deles já manusearam “cadernos” com resultados de pesquisas? Já elaboraram um questionário minimamente aceitável? Muitos não sabem nem quantos eleitores Alagoinhas possui. Fazem barulho nas redes sociais, mas são apenas idiotas tentando transitar em terreno totalmente desconhecido, como se fossem experts na área. É triste constatar que em Alagoinhas pululam idiotas.

Pesquisa XI

Os resultados da pesquisa indicam que muitos postulantes de mentirinha devem bater em retirada para não enfrentarem a vergonha das urnas. Na verdade, candidaturas viáveis, realmente com chances eleitorais, serão no máximo três. Não mais do que isso. Sem nenhum exercício de futurologia. Marketing político nunca foi atribuição de Madame Beatriz.

Pesquisa XII

Os dois candidatos que pontuaram bem na pesquisa enfrentam dilemas, diferentes, é verdade, mas que se não forem bem equacionados ocasionarão prejuízos futuros. Joaquim Neto precisa de uma legenda forte, com musculatura estadual e local, tempo de rádio e capacidade de atrair investidores. Radiovaldo Costa, por seu turno, necessita da unificação do partido e do alinhamento de segmentos internos que não compactuam nem com sua pré-candidatura, quanto mais com uma possível candidatura. O tempo corre contra os dois e a partir da pesquisa eles serão os alvos preferidos dos outros pré-candidatos.

Pesquisa XIII

A pesquisa deve servir também para a reflexão do grupo situacionista, que não têm nenhum correligionário bem posicionado e com chances reais, neste momento, de disputar a Prefeitura de Alagoinhas. A forma solitária e, para alguns, individualista, como o prefeito faz política seria um dos motivos da baixa performance dos cezistas.

Pesquisa XIV

O velho bordão de que a eleição está muito longe não cola. Quem possui o controle da máquina, portanto, dos recursos, naturalmente, deveria ter alguém bem posicionado nas pesquisas do momento. É hora de abrir os olhos e mudar as posturas. Senão, a vaca vai para o brejo antes do tempo.

Pesquisa XV

O vereador Caio Ramos é a grande surpresa da pesquisa. Apareceu em terceiro lugar na preferência dos entrevistados como o mais preocupado com os problemas do povo e o mais atuante (também em terceiro) do legislativo municipal. Ele está no pódio nas duas situações. Vai virar saco de pancada.

 

 

 

 

 

 

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje