BATE PRONTO 82

DIAS-DAS-BRUXAS

Outubro, o mês das bruxas, não foi muito bom para alguns políticos de Alagoinhas. Os prejuízos serão aferidos nas próximas pesquisas, visto que as derrapagens passaram do aceitável e a opinião pública alagoinhense reagiu nas redes sociais, espaço privilegiado para se saber a média do que pensam os diversos segmentos da população. Faltando 11 meses para o pleito que definirá o futuro prefeito e a composição da Câmara de Vereadores, o clima de acirramento já é de campanha eleitoral. Os próximos capítulos prometem muitas emoções. Até a próxima coluna.

Derrapagem I

A secretária municipal de Infraestrutura, Sônia Fontes, “vendida” pelo prefeito Paulo Cezar como profissional detentora de grande capacidade técnica, praticou uma grande derrapagem no “Caso AABB”, que ultrapassou as fronteiras de Alagoinhas e da Bahia, chegando às redações de grandes veículos de comunicação do eixo Rio de Janeiro/São Paulo. O fato demostrou que a gestora pública, com grande experiência, não tem ainda inteligência emocional para lidar com situações estressantes. Sônia Fontes é(ou será) a Dilma de Paulo Cezar?

Derrapagem II

O Partido dos Trabalhadores também cometeu uma grande e previsível derrapagem ao protelar a escolha de seu candidato à Prefeitura de Alagoinhas pela quarta vez, sem uma razão forte o bastante para convencer a opinião pública sobre a estabilidade do processo de discussão interna. Dirigente partidário íntegro e com bons propósitos, Edinaldo Oliveira, presidente do PT, está parecendo mais a “Velhinha de Taubaté”, antológica personagem de Luís Fernando Verissimo, que na década de 80, era a única brasileira que ainda acreditava no governo do general Figueiredo. Edinaldo é o único que ainda acredita na união do PT de Alagoinhas em torno de um nome para disputar a prefeitura. A legenda está rachada e não tem mais como cauterizar feridas históricas, que agora supuraram.

Derrapagem III

Ao apresentar discurso público registrando seu desinteresse em ser candidato do PT e manietar internamente seus correligionários visando protelar a decisão partidária, o deputado Joseildo Ramos também cometeu derrapagem considerável. Passou a nítida impressão para a opinião pública de que ele é o dono do partido e que qualquer pretensão será podada. A vitória interna momentânea poderá se transformar em derrota no futuro.

“Primeiro damo”

Marido da secretária Sônia Fontes, Fernando Duarte, ex-vereador em Salvador, articula intensamente nos bastidores em prol da candidatura de sua consorte à Prefeitura de Alagoinhas. A movimentação tem irritado muita gente do grupo do prefeito Paulo Cezar, que não aceita a anuência do alcaide às ações “duartistas”. E o pior: ele vem pressionando pessoas do grupo situacionista, exigindo declarações imediatas de apoio à candidatura de Sônia Fontes. A hipotética vitória de sua esposa o transformará, sem dúvida, na iminência parda do governo “sonista”.

Solidariedade I

Na política, para espanto de muitas pessoas, nem sempre o provável acontece. A família Argolo continuará mantendo o controle do partido Solidariedade em Alagoinhas, Entre Rios e Cardeal da Silva, apesar dos gravíssimos problemas enfrentados por Luiz Argolo. Manoelito Argolo Junior, o operador político da família, conseguiu vencer o deputado federal Arthur Maia, ainda líder da legenda na Câmara dos Deputados, e manterá a sigla sob as asas argolistas nos três municípios. Neste sábado, a coluna entrou em contato com Junior, mas o celular foi atendido por seu filho, que avisou que ele estava em uma fazenda com o pai ( e avô), o ex-prefeito de Entre Rios Manoelito Argolo.

Solidariedade II

A força argolista estaria na amizade mantida com Tiago Cedraz, filho do ex-deputado federal baiano Aroldo Cedraz, atual presidente do Tribunal de Contas da União (TCU). Paulinho da Força, dono do SDD, deu apoio integral aos que querem manter tudo como está em Alagoinhas, Entre Rios e Cardeal da Silva.

Novos ares I

Tudo indica que o vereador Radiovaldo Costa (PT) está no caminho para respirar novos ares partidários. Com sua pretensão de ser candidato do petismo à Prefeitura de Alagoinhas barrada internamente, ele poderá buscar outra legenda para disputar o Executivo. A saída de Radiovaldo não lhe garantirá a vitória, mas determinará, sem dúvida, a derrota do PT. Os traumas internos são muito maiores do que uma mera disputa entre dois vereadores. Juízo e caldo de galinha não farão mal ao vereador Radiolvado Costa.

Novos ares II

Bem posicionado em todas as pesquisas, Costa não deverá ter dificuldades para abrigar-se em uma nova legenda. Sua saída, se confirmada, será fato político com relevância estadual. Em Alagoinhas, para ter alguma chance real de vitória, o PT terá que marchar unido. Fora deste cenário, a derrota é certa. Os prognósticos, caso a cisão seja concretizada, são os piores possíveis, com o candidato petista na rabeira do resultado eleitoral, tendo muitas dificuldades para fazer um vereador, quanto mais dois, número de sua atual bancada.

Imagem

Os recentes fatos, a despeito da miopia de muitos, sem qualquer dúvida abalaram a imagem pública do prefeito Paulo Cezar e, consequentemente, do governo municipal. Negar esta situação é fugir da realidade e transitar em mundo artificial. Desprezar a repercussão de fatos políticos ou de outra natureza é o caminho para a derrota eleitoral.

Não

Ex-dono de legenda nanica com antiga atuação em Alagoinhas viu a pretensão de ter outra sigla sob seu controle ir por água abaixo (a antiga foi perdida após a eleição do ano passado). Na ânsia de ter uma legenda para chamar de sua, cidadão sem voto, tentou obter controle de uma nova agremiação política, que nasce com certo charme, e recebeu um não bem redondo e irrevogável. O jargão bom dia, boa tarde e boa noite deu com os burros n´àgua.

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje