“Professores da Prefeitura de Salvador ganham 19% a mais do que os do Governo do Estado”, afirma deputado Gaban

Em nenhum momento presenciei o deputado Joseildo Ramos (PT) subir na tribuna da Assembleia para tentar um diálogo por um salário mais justo para os professores da rede estadual de ensino, no momento da grave que durou 115 dias, ganhou repercussão nacional e foi considera a maior da história da educação brasileira.

Ontem (12), utilizei a tribuna para condenar o movimento grevista dos professores municipais de Salvador, pois está claro que é uma greve política. Senão vejamos: 1 – O piso salarial definido pelo MEC para 2013 é de R$ 1.567,00. Ano passado, foi de R$ 1.451,00 e a Prefeitura já pagava R$ 1.940,88, ou seja, 23,86% a mais que o piso nacional; 2 – A prefeitura municipal paga a professores em início de carreira no regime de 20 horas salário de R$ 970,44, enquanto o Governo do Estado paga R$ 829,27.

Já no regime de 40 horas, o salário inicial do professor municipal é de R$ 1.940,88, enquanto o do professor estadual é de R$ 1.659,94. Ou seja, em ambos os casos, a prefeitura paga 19,09% a mais; 3 – Com o reajuste proposto pelo prefeito ACM Neto de 7,97%, índice acima do reajuste dado pelo governo Wagner, pelo Judiciário e Legislativo, o salário inicial de professores em regime de 20 horas passaria para R$ 1.047,78 e, em regime de 40 horas, para R$ 2.095,56.

Por outro lado, os salários dos professores estaduais, que receberam este ano um reajuste de apenas 5, 84%, passaram para R$ 878,44 e R$ 1.756,88.

Fonte: Assessoria de Comunicação do deputado estadual Carlos Gaban

 

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje