BATE PRONTO 96

Alagoinhas é interessante sob muitos aspectos. Costumo adaptar uma das mais célebres frases o ex-governador Otávio Mangabeira (1947/1951): “Pense em um absurdo, a Bahia tem um precedente”. Alagoinhas tem todos os precedentes na política. As análises do AH, quase sempre, são conspurcadas pelas paixões políticas, que não são boas conselheiras. Em momento pré-eleitoral, quando o jogo político está começando, a tendência é que o frisson ganhe contornos ainda mais passionais. A racionalidade deveria ser regra entre os disputantes, assessores e simpatizantes. Não é o que se vê, quando ainda estamos no período de preparação daquela que será uma das mais renhidas campanhas dos últimos anos.

“Maridão”

Tido como bom articulador político, maridão tentou assumir o PTdoB em Alagoinhas, há muito tempo sob o controle de Alfredinho Menezes. A conversa com Dilma Gramacho, dona a sigla na Bahia, aconteceu em Salvador e foi amena. A proposta: um futuro melhor para o partido. A dirigente do nanico ouviu a lenga-lenga, mas não deu resposta. Ardilosa, pediu a Alfredinho que comunicasse ao suposto correligionário que a sigla não passaria para o controle da pré. Assim tem sido a atuação nas hostes amigas. É fácil imaginar aquilo que fará com os adversários se chegar (indiretamente) ao poder.

PT DO B

CAF

O governo municipal continua acreditando na liberação dos recursos da Corporação Andina de Fomento (CAF). A expectativa é grande e a portaria disponibilizando a primeira parcela poderá ser assinada a qualquer momento pelo ministro da Fazenda.

Rede

A Rede Sustentabilidade realizou dois cursos de formação política em Alagoinhas, sob a coordenação de dirigentes da sigla marinista. O partido já tem seu núcleo local, denominado Elo, que é formado por ex-petistas. A Rede também avançou em uma questão mais pragmática da política: conta com 19 pré-candidatos à Câmara de Vereadores. O ato de filiação dos vereadores Radiovaldo Costa e Jenser Souza está na fase de planejamento. A intenção é fazer um grande evento.

Partido da República

O Partido da República (PR), comandado na Bahia pelo deputado federal Jonga Bacelar, um dos grandes amigos de Eduardo Cunha, busca novos dirigentes em Alagoinhas. Anderson Baqueiro, gestor da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT), atual comandante local da sigla, deverá ingressar no Solidariedade, ainda sob o controle da família Argôlo em Alagoinhas, Entre Rios e Cardeal da Silva. 

PRTB

O Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB) está na órbita política local do deputado estadual Joseildo Ramos (PT). Rogério da Luz, dirigente estadual, deu carta branca à seção municipal para fechar acordo com a possível candidatura petista.

Eleitores

Após a prorrogação do cadastramento biométrico para 29 de fevereiro, os eleitores sumiram do fórum eleitoral de Alagoinhas. Muita gente já está no clima de momo. Seguramente, as filas voltarão com toda força depois do carnaval. O mutirão não será mais ampliado e a partir de 1º de março os trabalhos retornam ao ritmo normal (de segunda à sexta-feira).

Família

Candidatos à Câmara de Vereadores que exercem cargos de confiança na Prefeitura de Alagoinhas terão que ser exonerados até 2 de abril, seis meses antes do pleito. Até aí nada demais. Especulações indicam que alguns desejam colocar familiares em seus lugares com objetivo de preservar posições na máquina pública e manter a renda da família. Absurdos dos absurdos. Se a intenção for concretizada, o governo Paulo Cezar poderá ser denominado como “arrimo de família”. Juízo e espírito público não fazem mal a ninguém.

Hospital

Em boa hora chega a notícia sobre a implantação do serviço de neurocirurgia do Hospital Regional Dantas Bião (HRDB). Os governos petistas baianos têm grande déficit com Alagoinhas e região na área da saúde. Não há mais tempo para paciência e desculpas governamentais esfarrapadas. É hora de fazer diferente, investir e oferecer melhor serviço aos pacientes da unidade de saúde.

Micareta I

Mais uma vez, a exemplo do ano passado, existem motivos para realizar a Alafolia 2016 e também para não fazê-la. O tema envolve paixões, interesses econômicos e componentes políticos explosivos. O governo terá que avaliar os prós e contras. Se não fizer, será dinamitado pelos empresários da folia. Se fizer, o comércio alegará prejuízos. Optando pelo sim, a administração municipal atenderá segmentos envolvidos diretamente na festa, mas dará oportunidade para os críticos da gastança em tempos de crise. Uma difícil decisão salomônica.

Micareta II

A tendência do governo é realizar a micareta. Neste momento, a avaliação política se sobrepõe às agruras financeiras do erário. Existem justificativas plausíveis para o SIM e para o NÃO. No fundo, o evento deste ano tem mais componentes políticos do que festeiros.

Royalties

Em janeiro, a Prefeitura de Alagoinhas obteve um incremento de R$ 200 mil na conta dos royalties pagos pela Petrobras. Recebeu R$ 670 mil. Em dezembro havia recebido R$ 470 mil. Na quarta-feira, a Agência Nacional de Petróleo (ANP) informará os motivos do incremento. É possível que o aumento da receita seja resultado de uma ação da municipalidade na Justiça Federal. 

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje