BATE PRONTO 60

A coluna Bate Pronto chega ao número 60 e oferece aos leitores notas sobre a politica de Alagoinhas. Os bastidores interessam muito aos que leem o Alagoinhas Hoje e sempre que uma nova coluna é publicada a curva de acessos do site cresce exponencialmente. Ocupamos um espaço privilegiado no jornalismo político de Alagoinhas. Agradecemos a todos os leitores e reafirmamos o compromisso de continuar trabalhando nesta linha, buscando informações exclusivas e de interesse social. Até a próxima coluna

UFNB I

O evento sobre a Universidade Federal do Nordeste da Bahia, em Serrinha, no dia 6, contou com pouquíssimas pessoas de Alagoinhas. A equipe do deputado estadual Joseildo Ramos (PT) estava lá. O prefeito Paulo Cezar, Sidney Costa e um assessor da Secretaria de Infraestrutura também apareceram. Nenhum outro segmento representativo do município marcou presença ou mandou algum “preposto”. Sinal claro da importância atribuída à UFNB. Gente que não pensa no futuro, não tem lugar de fala para tratar do presente.

UFNB II

O deputado federal Afonso Florence (PT) solicitou que os componentes dos cinco territórios não disputassem, agora, a reitoria da UFNB. Para ele, a luta enfraquece o processo de implantação da universidade. O Alagoinhas Hoje mantém o discurso em prol da instalação da reitoria no nosso município.

Sem casa?

A nova estratégia do Ministério das Cidades de concentrar a terceira fase do Programa Minha Casa, Minha Vida em municípios com grande contingente populacional vai prejudicar Alagoinhas, que terá dificuldades para captar novos investimentos na área habitacional. Perde a cidade, perde mais quem precisa de residência de baixo custo.

Fontes?

Discurso sobre o parentesco com o ex-prefeito de Alagoinhas Miguel Santos Fontes (1977/1982) não cola. É falso, insustentável e demonstra uma pífia tentativa de construir relações antigas com o município. Mais parecido com um discurso de pirro. Melhor tirar o cavalinho da chuva.

Receita

Apresentar receitas em terras alheias é fácil. Criticar as empresas instaladas em Alagoinhas não exige cérebro privilegiado. Mas é bom perguntar: qual o retorno concedido à cidade? Alagoinhas está farta de meteoros que cruzam o céu e nada oferecem. Pelo contrário, levam daqui as receitas auferidas nas atividades empresariais.

Curva ascendente

Registrando curva ascendente em sua audiência, o Alagoinhas Hoje se consolida como o principal site do município e da microrregião. Os vazamentos de informações permitem aos leitores acessar notícias que estariam circunscritas aos bastidores da política alagoinhense.

Bloco

Novidade no parlamento alagoinhense, o bloco formado por seis vereadores – José Edésio, José Cleto, Raimundo Mutuca, Gilson do SAAE, Raimunda Florêncio e Roberto Torres – pode ter atuação política para além do legislativo. 2015 será um ano importante para o bloco. O que dizer sobre 2016?

Assessoria

Não é de hoje que a assessoria de comunicação da Secretaria Estadual da Saúde faz um péssimo trabalho. O titular da pasta esteve em Alagoinhas no sábado. Chegaria quase que na surdina se o AH não publicasse a informação sobre a visita. Depois de seu périplo alagoinhense, como seria de bom alvitre, nem uma linha enviada para os sites da cidade.

Argôlo

O grupo do ex-deputado federal Luiz Argôlo ainda existe ou será absorvido por forças políticas da cidade? Uma regra no mundo da política é inexorável: quem está só, sem abrigo, não consegue se manter em posições de destaque nos principais escalões das administrações municipais. Competência não basta. Padrinhos políticos possuem varinhas de condão. Fazem milagres.

Domicílio

Na última sexta-feira, o médico Joaquim Neto (PTC) transferiu seu domicílio eleitoral para Alagoinhas e articula sua candidatura à prefeitura. Ele tem percorrido a zona rural fazendo atendimentos. Em um dia da semana, em sua clínica da cidade, ele prescreve receitas para mais de 100 pacientes. Isso pode funcionar nas cidades com menores contingentes populacionais, a exemplo de Sátiro Dias, mas o efeito em Alagoinhas é super duvidoso.

Brasília

Joaquim Neto conversou hoje (10), em Brasília, com o deputado federal Paulo Azi (DEM). O médico precisa de um grupo político para “chamar de seu” e disputar a Prefeitura de Alagoinhas. Sem isso, suas chances serão mínimas. 

Candidato

O engenheiro civil Filadelfo Neto, que exerceu dois mandatos de deputado estadual na década de 80 do século passado, acalenta esperanças de ser candidato à Prefeitura de Alagoinhas. Mais do que isso: ganhar a eleição de outubro de 2016. Homem de fino trato, Filadelfo tem errado na avaliação dos cenários eleitorais do município há décadas. Ele sempre teve ao seu lado pessoas que se diziam cientistas políticos e especialistas em pesquisas eleitorais. Os resultados todos conhecem.

Fica ou não fica?

O trabalho interino de Márcio Gomes à frente da Secretaria de Agricultura pode se transformar em permanente. Tudo está a depender de certos arranjos políticos. Padrinhos podem aparecer e sustentar a sua presença no primeiro escalão do governo cezista

Gás Natural

O gás natural sumiu dos dois postos de Alagoinhas que o forneciam. O Menor Preço, situado na Avenida Joseph Wagner, já avisou que não comercializará mais o gás. O Posto Central, da BR-101, alega que o compressor está com defeito. O fato é que os proprietários de veículos que investiram no kit gás não conseguem abastecer. O posto mais “próximo” fica em Santiago, entre Catu e Pojuca, a 40 km de Alagoinhas. A distância torna o abastecimento economicamente inviável.   São obrigados a pagar o preço extorsivo da gasolina. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje