BATE PRONTO 130

Em conversa com o editor do Alagoinhas Hoje na manhã de ontem (29), o prefeito Joaquim Neto (DEM) avaliou os seis meses de administração como positivos. Ele está otimista e disse que ao final do primeiro ano de governo apresentará bons resultados em diversas áreas. Até a próxima coluna. 

JN I

Nos primeiros três ou quatro meses de gestão, segundo o prefeito, a administração municipal concentrou seus esforços para rearrumar a casa, entregue pelo ex-prefeito Paulo Cezar numa situação de bagunça total, ao contrário do discurso cezista de completa organização da máquina pública. E com dinheiro em caixa, segundo os cezistas, quando na verdade os saldos eram negativos.

JN II

Recursos do PAC I e do PAC II, num total de aproximadamente R$ 20 milhões, de acordo com o prefeito, foram recuperados, quando estavam praticamente perdidos, também pela desorganização do governo passado, que não atentou para questões importantes que garantiriam investimentos continuados à Prefeitura de Alagoinhas.

JN III

A economia de recursos, informou Joaquim Neto, é verdadeiro mantra de sua administração. Em licitação para compra de remédios foram economizados R$3 milhões, que serão investidos em áreas importantes.

JN IV

Para o prefeito, as chuvas constantes têm sido empecilhos à intervenção mais forte da secretaria de Infraestrutura e a melhoria das ruas da cidade. “Toda manhã, quando acordo, minha primeira curiosidade é saber como está o tempo”, revelou Joaquim.  O gestor acredita que no segundo semestre a SECIN apresentará melhores resultados.

JN V

A despeito da crise política que praticamente paralisou o governo federal, Joaquim Neto está em Brasília na próxima semana, de segunda (3) a quinta-feira (6), em busca de recursos para o município. Sem dar maiores detalhes, ele disse que existem dois grandes projetos pré-aprovados em importantes ministérios, que se chegarem à fase final de liberação dos recursos, garantirão consideráveis montantes para o saneamento básico.

JN VI

Os secretários municipais continuam sendo observados e o desempenho de cada pasta avaliado constantemente. Não acontecerão mudanças radicais na equipe. O prefeito acha que está conseguindo equilibrar o jogo e não tomou goleada em seis meses de governo. Num linguajar mais popular: o baba está bom para ele, apesar da veemência das críticas publicadas nas redes sociais.

JN VII

O trabalho do deputado federal Paulo Azi (DEM) em busca de recursos para Alagoinhas foi ressaltado pelo prefeito. Ele considera que Azi tem sido parceiro importante de sua administração.

JN VIII

O prefeito admitiu que não tem qualquer contato com o ex-prefeito Chico Reis. Questionado, ele não quis dar mais detalhes acerca dos bastidores, nem mesmo sobre a permanência ou não da professora Iraci Gama na secretaria de Cultura, Esporte e Turismo, ex- SECEL.

JN IX

Sobre o relatório da Controladoria Geral da União (CGU), o prefeito não quis tecer maiores comentários, embora tenha admitido que o resultado final não será nada positivo para o ex-mandatário Paulo Cezar. Muito pelo contrário, acrescenta a coluna.

JN X

O prefeito afirmou que está entusiasmado com as possibilidades futuras de sua administração, após os primeiros seis meses de governo, que foram necessários para arrumar a casa e deslanchar projetos estruturantes.

GOVERNO I

A falta de estrutura da secretaria de Comunicação (SECOM) foi um dos grandes erros do primeiro semestre do governo joaquinista. A pasta tem um jornalista, o próprio secretário, e dois fotógrafos, algo pouco comum nesta importante área governamental.

GOVERNO II

Sem um especialista em redes sociais e velocidade administrativa, o governo continuará apanhando tal qual mala velha. Incapaz de reagir, justamente por falta de estrutura, a SECOM tem cumprido o básico possível dentro do roteiro traçado amadoristicamente para a pasta, mas não consegue fazer o enfrentamento no “campo da virtualidade”.

GOVERNO III

A lentidão da secretaria de Infraestrutura também é ponto negativo para o governo. O secretário André Luiz é experiente na área pública e fez, segundo uma fonte de Lauro de Freitas, bom trabalho na confusa gestão do ex-prefeito do município, Márcio Paiva. Em Alagoinhas, André Luiz ainda pode dar liga. Recursos consideráveis estão à sua disposição no segundo semestre.

GOVERNO IV

A coordenação política, sempre importante, quando bem-feita, é outra área na qual o governo não evoluiu no primeiro semestre. Falta alguém com autoridade, autonomia e palavra para entabular negociações com os vereadores, defender os projetos do Executivo e assegurar, junto ao líder do prefeito no parlamento, Ozeas Menezes, as condições políticas para aprová-los.

GOVERNO V

Que fim levou a comissão de sindicância instalada no mês de abril para investigar a invasão noturna do ex-prefeito Paulo Cezar, em 31 de março, ao Centro Administrativo Municipal (CAM)? Ao que parece, ninguém sabe, ninguém viu.

GOVERNO VI

Aprovados em concurso público, guardas municipais esperam convocação pela Prefeitura de Alagoinhas. O limite prudencial de gastos com o funcionalismo, que já estaria no teto apontado em lei, seria o motivo principal da não convocação.

GOVERNO VII

A SLA, uma das mais importantes e premiadas agências de propaganda do estado, com atuação em outras regiões do país, deverá ganhar a licitação da Prefeitura de Alagoinhas, se não houver nenhuma mudança radical nos próximos dias. Com isso, a comunicação do governo joaquinista poderá ter mais conteúdo. É bom lembrar, entretanto, que a comunicação, em suas variadas nuances, só constrói imagem positiva com ações administrativas relevantes.

GOVERNO VIII

Os gestores da Prefeitura de Alagoinhas, de cima a baixo, precisam participar de um brainstorming comunicacional para entenderem as atribuições da agência de publicidade, da secretaria de Comunicação, dos jornalistas (que ainda não existem na PMA), do especialista em redes sociais, do marketing (também secundarizado no primeiro semestre) e dos fotógrafos. Enfim, da estrutura de comunicação pública, importante ferramenta para a gestão.

GOVERNO IX

No decorrer do mês de julho, o governo poderá fazer alguma rearrumação administrativa e política, abrindo espaço para o ex-vereador Gilson Guimarães, primeiro suplente, assumir cadeira no legislativo. Guimarães conta com apoio de ex-colegas que fazem parte da bancada joaquinista.

GOVERNO X

Se quiser melhores resultados no segundo semestre, o governo municipal não poderá cometer os mesmos erros e, preferencialmente, nem novos erros que comprometam o balanço final do primeiro ano de administração.

ARAMARI

Os empregos para parentes podem garantir tranquilidade familiar por quatro anos. E o fim da carreira política do prefeito e apaniguados. Matérias publicadas pelo Alagoinhas Hoje sobre os favorecimentos “empregatícios” a parentes do prefeito Fidel Dantas e do vice-prefeito Dedé atingiram milhares de visualizações (mais de 20 mil só no Facebook). Por intermédio do Whatsapp, na atualidade um dos principais meios de informação dos brasileiros, o escore de audiência pode ter alcançado pessoas de várias regiões do estado e do país. Ninguém segura a verdade.

 

Foto: Alagoinhas Hoje

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje