BATE PRONTO 39

Após um longo período, a coluna volta a ser publicada, com dez notas sobre temas variados da vida alagoinhense. Os leitores, por intermédio de correspondências eletrônicas, contatos pessoais e telefone, cobraram o retorno deste espaço. A coluna está de volta e espera contar com a sugestão de seus leitores quanto aos temas a serem publicados de agora em diante. Boa leitura. Até a próxima. 

Sub 1

Um subsecretário da Prefeitura de Alagoinhas anda às voltas com a insatisfação de seu chefe imediato, o secretário, nada feliz com o absenteísta auxiliar, dado a arroubos de independência política e administrativa, como se não fizesse parte de um grupo político. Poderá ser remanejado a qualquer momento por conta do embate com o superior hierárquico.

Sub 2

Circulam muitas críticas à criação do cargo de subsecretário. Ninguém sabe ao certo o que fazem de fato estes assessores graduados. Seria apenas mais uma sinecura? Alguns trabalham e outros estão deslocados? Como o dinheiro público está em jogo seria bom que a administração fizesse um pente fino para enquadrar aqueles que nada fazem e muito ganham.

Arrependimento

Se arrependimento matasse, um vereador que assinou o projeto de lei complementar para acabar com a gratuidade no transporte coletivo para pessoas a partir de 60 anos já teria morrido. A repercussão foi extremamente negativa. Mas ele ainda não viu nada. Quando as eleições se aproximarem, seu nome, assim como dos outros quatro mosqueteiros às avessas, correrão as redes sociais.

SAAE

A Comissão Permanente de Licitação do SAAE, na nova administração, é composta apenas por funcionários do quadro permanente da autarquia, fato que não acontecia na gestão do engenheiro Sylvio Vianna. A reaproximação com os fornecedores, que queriam distância da empresa por conta da inadimplência, é outra estratégia para resgatar a combalida imagem da empresa.

Greve

Alagoinhas vai parar no dia 30 de Agosto, como parte da estratégia nacional das centrais sindicais em defesa dos direitos dos trabalhadores. Na última ação desta natureza, os números de participantes em Alagoinhas apresentados pelos organizadores e aqueles registrados pelos representantes patronais foram diametralmente opostos. Um pouco mais de realidade não faz mal a ninguém. 

Base I

Na sessão de ontem da Câmara de Vereadores o clima entre alguns vereadores da base do governo não foi nada bom. O vereador Arão fez duras críticas ao colega José Cleto, que no entendimento do professor, controla o PTC de Alagoinhas juntamente com o presidente municipal da legenda, Jessé Bico de Pena. Arão disse que foi pressionado por Cleto para se juntar aos vereadores que assinaram o projeto que tinha como objetivo acabar com a gratuidade no transporte coletivo, mas não cedeu às pressões.

Base II

O vereador Gilson do SAAE disse ser contra o projeto de concessão de terreno à Clínica Vida. Ele afirmou que o terreno pertence à empresa na qual trabalha e que falta transparência ao governo nesta questão. A base está em estado de beligerância entre si e contra o governo, que precisará de muita água e de produtos adequados para apagar incêndios.

Estradas

As estradas da zona rural de Alagoinhas estão intransitáveis e a população quer saber quais os projetos do governo municipal para melhorar as condições de tráfego em quase todas as comunidades. Com o período de chuva terminando, é hora de sair do discurso e ir direto ao assunto, ou seja, meter a mão na massa e recuperar as estradas vicinais.

Projeto

A indignação em relação ao projeto que atentava contra a gratuidade no transporte coletivo demonstra que os segmentos sociais organizados têm força e conseguem mudar o posicionamento dos políticos. Sair da passividade é o caminho para manter velhos direitos e conquistar novos. A imprensa de Alagoinhas também teve papel importante no recuo dos cinco vereadores. Mas esta é nossa obrigação e não fizemos nada mais do que deveríamos. As críticas e as denúncias são as principais ferramentas da imprensa. Estamos evoluindo.

Tarifa

Os donos de ônibus voltarão à carga para que a tarifa seja majorada? Certamente eles não vão ficar parados, até porque alegam que o sistema é deficitário. Pelo menos um dos três “controladores” quer abandonar o sistema? Claro que não, pois a atividade, apesar dos choramingos, ainda é atrativa e gera muitos e muitos reais.

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje