BATE PRONTO 143

A partir do primeiro minuto de ontem (1º) pesquisas eleitorais devem ser registradas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), com plano amostral e identificação de quem pagou a aferição, ficando disponibilizada no site da justiça eleitoral.

A sorte começou a ser lançada.

Pesquisas não ganham eleição, mas são imprescindíveis para avaliação de cenários. Em Alagoinhas, parte dos políticos opta pelas mais baratas e, na maioria das vezes, sem nenhum grau de confiabilidade, item fundamental para quem deseja verdadeiramente conhecer a realidade momentânea, que pode ser volátil ou em processo de cristalização.

 PRÉ-CANDIDATOS I

Com quase 20 pré-candidatos ao Executivo, Alagoinhas é uma das cidades baianas com mais de 50 mil eleitores recordista em postulantes. Algumas pré-candidaturas fazem parte do circo eleitoral e não sairão dos traços nas pesquisas. Tem gente que não se enxerga e se acha a última bolacha do pacote.

PRÉ-CANDIDATOS II

Basta entender um pouquinho de política para cravar o seguinte palpite: a cidade terá no máximo quatro candidaturas viáveis e em condições de competitividade. As outras, de franco atiradores, não passarão de balas de festim, sem nenhuma condição de emplacar.

ARTICULAÇÃO I

O prefeito Joaquim Neto precisa construir urgentemente articulação política com São Pedro: chuvas torrenciais  castigaram o município em parte dos 36 meses de administração. São Pedro, aparentemente, não é joaquinista.

ARTICULAÇÃO II

Momentaneamente, as articulações estão acontecendo no litoral do município de Conde, que em janeiro fica coalhado de políticos de Alagoinhas. Whisky, cerveja e peixe fazem parte do cardápio à beira mar.

VOLTA

O ex-vereador Gilson Guimarães, que ocupa a vaga de Jorge da Farinha, secretário de Relações Institucionais, é tido como um dos mais prováveis futuros parlamentares, na titularidade a partir de janeiro de 2021. A volta de GG tem boas probabilidades de se concretizar.

RENOVAÇÃO

Se for candidato e lograr êxito, o jornalista Tárcio Mota (PT) será um sopro de renovação no parlamento municipal, cujo índice de novos nomes poderá ficar em torno de 50%.

DE NOVO?

A indefectível vereadora Raimunda Florêncio renovará o mandato? Muita gente gosta dela, mas parte da sociedade preferiria vê-la fora do legislativo. Nadando contra a corrente, RF trabalha para continuar vereadora e poderá garantir mais quatro anos.

FUTURO DE FF

Não há dúvida de que o professor Fabrício Faro (DEM) tem futuro na política de Alagoinhas (mais cedo ou mais tarde). Com vida profissional reconhecida na cidade, FF não precisa ter pressa e melhor seria não compor a chapa na posição de vice-prefeito de nenhum dos postulantes viáveis, excluindo, obviamente, aquela encabeçada pelo prefeito Joaquim Neto, com quem o grupo do deputado federal Paulo Azi (DEM) não quer acordo eleitoral.

PC

Ainda sem definir sua futura legenda, o ex-prefeito Paulo Cezar terá que dar mais velocidade às conversas para ingressar em um partido que o abrigue sem maiores traumas e possa agregar musculatura às suas pretensões eleitorais. Embora com recall bem elevado, PC precisa de proteína política visando garantir posição mais confortável na disputa.

RT

O vereador Roberto Torres, presidente do legislativo municipal, tem tudo para se transformar em político importante nas articulações eleitorais, seja como candidato ao Executivo ou como postulante à vice de chapa eleitoralmente viável.

IRMÃO

Manoel Cardoso, irmão do prefeito Joaquim Neto, poderá dar adeus ao governo municipal. MC não é homem talhado para a gestão pública, embora sua longa estada em Brasília o tenha aproximado de muitos políticos baianos, com quais mantém vínculo de amizade.

SEM CANDIDATURA

Raimundo Queiroz, chefe de Gabinete da Prefeitura de Alagoinhas, aparentemente, desistiu da candidatura à Câmara de Vereadores (ou foi desistido). As duas alternativas são ótimas para o prefeito Joaquim Neto, que assim terá menos um grande problema para resolver.

MANDATO

Vereador de primeiro mandato, Luciano Almeida (DEM) produziu muito nos três anos em que está no parlamento, defendendo causas importantes e fortalecendo sua vinculação com diversos segmentos da comunidade. Além disso, é o vereador que melhor trabalha sua imagem e ações nas redes sociais.

CHÁ DE SUMIÇO

O ex-vereador Radiovaldo Costa (PT) parece que tomou chá de sumiço da política. A sua disposição para enfrentar o embate eleitoral é proporcional ao entusiasmo dele com a pré-candidatura majoritária do vereador Luciano Sérgio (PT). Em política, na maioria das vezes, aquilo que é dito não está em consonância com o que se pensa.

OITAVO MANDATO

Se ganhar a eleição em 4 de outubro, o ex-vereador José Edésio assumirá o oitavo mandato no legislativo alagoinhense. Fato histórico e sem precedentes na política local.

NA CARA

O secretário de Assistência Social, José Alfredo Menezes Filho, segundo uma fonte, é um dos poucos assessores do prefeito Joaquim Neto com coragem para contestar o chefe e jogar na cara os fatos que JN não gostaria de ouvir/enfrentar. No geral, a opção joaquinista é “barrigar”. De barriga, já chega a de Alfredinho. 

VOADOR

De que adianta escrever muito se poucos leem? Quantidade nunca foi e será sinônimo de qualidade. Menos ainda de repercussão e impacto. Para alguns, o tempo tem sido mola propulsora da idiotização e criação de cenários puramente imaginários. Além de escorregar, está “voando na maionese”. 

PASSO

Alguns analistas atribuem a modificação da articulação política do prefeito Joaquim Neto ao secretário Gustavo Carmo (Governo e Comunicação). O trabalho de Jorge da Farinha e de Jessé Bico de Pena também agregou valor ao passo à frente da administração. Se os acordos fossem cumpridos, as tarefas do trio seriam mais leves e menos estressantes. 

 

 

 

 

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje