BATE PRONTO 142

Os alagoinhenses, com exceções de praxe, gostam de política, vivem a política e opinam diariamente sobre os rumos da cidade.

Às vésperas de 2020, ano eleitoral de grande importância para o futuro da urbe, é hora de avaliar os melhores caminhos e as opções colocadas à disposição dos eleitores.

Pré-candidatos I

Com pré-candidatos para todos os gostos (e desgostos), Alagoinhas deve estar entre as cidades baianas com mais pretendentes ao executivo municipal. Alguns, com certeza absoluta, não se elegeriam a nada, mas acreditam que poderão convencer os eleitores a optarem por seus nomes. Males da farra partidária no Brasil.

Pré-candidatos II

Naturalmente, com o transcorrer dos meses o número de franco atiradores (pré-candidatos) diminuirá e haverá a aglutinação em torno de quatro ou cinco nomes.

FF

A pré-candidatura do professor Fabrício Faro (DEM) é importante, neste momento, para ocupação de espaços e ampliação do recall (lembrança) em disputas futuras. Ganhar ou perder fazem parte do jogo, mas é preciso entrar em campo.

Mulheres

Atuando em campos distintos, Jaldice Nunes e Jucy Cardoso poderão, se as candidaturas ao parlamento municipal forem confirmadas, ocupar espaços e atrair a atenção de segmentos que desejam ampliar a representação feminina na Câmara de Vereadores.

Azarão

Em 2016, quando ganhou a eleição, o médico Joaquim Neto, no decorrer da disputa, era considerado azarão. Conseguiu somar musculatura com a candidatura da professora Iraci Gama, o apoio do grupo do deputado federal Paulo Azi e a aproximação de cezistas que não aceitaram a candidatura da arquiteta Sonia Fontes. Que espectro ocupará em 2020?

PC

Mesmo liderando as recentes pesquisas de opinião, o ex-prefeito Paulo Cezar está enfrentando alguma dificuldade para encontrar uma legenda partidária. Não é situação confortável para um líder político de sua estatura.

Futuro

Em 2016, políticos de Alagoinhas apostaram na não candidatura do médico Joaquim Neto por conta dos problemas (e processos) de suas três administrações satirenses. Agora, alguns apostam que PC não será candidato. Acreditar no melhor cenário é sempre perigoso, principalmente pela falta de controle das variáveis eleitorais, políticas e judiciais.

Renovação

A renovação de 50% da Câmara de Vereadores é avaliada como provável em 2020. Índice elevado, mas plenamente possível em função das novas regras da disputa proporcional e fatores mais vinculados ao trabalho de parte dos legisladores, com pouca visibilidade.

Nomes

Dos atuais vereadores, Luciano Almeida, Gilson Guimarães (suplente), Raimunda Florêncio (sempre ela), Anderson Baqueiro e Juracy Nascimento, pela força da grana, são tidos como os possíveis mais votados em 2020.

PT

A pré-candidatura do vereador Luciano Sérgio se consolida mesmo não pontuando nas pesquisas como se espera de um petista. O maior desafio de LS é, em primeiro lugar, cristalizar o apoio dos petistas do município, que aumentaria sua intenção de voto para dois dígitos.

Sapos

O ex-vereador Radiovaldo Costa é o maior engolidor de sapos da política de Alagoinhas. Demonstrou ser, também, pouco estratégico: trocou apoio raquítico à sua candidatura de deputado estadual pela pretensão de ser candidato à Prefeitura de Alagoinhas. Não restam muitas alternativas para “Radiola”, a não ser a disputa de 2022 em cenário não tão favorável quanto o do ano passado.

Cerca

O tempo de pular a cerca está chegando: ocupantes de primeiro escalão e de cargos não tão importantes na administração joaquinista estão esperando a hora para mudar de lado rumo ao grupo cezista. Alguns nomes são pule de 10.

Imagem

Se houvesse convergência entre as realizações da administração e a imagem governamental, o prefeito Joaquim Neto estaria em posição muito mais confortável. Erros administrativos são inegáveis, mas do mesmo modo algumas realizações não podem ser secundarizadas.

Erro

O rompimento com o grupo do deputado federal Paulo Azi (DEM) foi o maior erro do prefeito Joaquim Neto, cujo custo político/eleitoral está sendo e será cobrado. Agora, Inês está morta e não há como voltar atrás.

Moda

Virou moda processar comunicadores que atuam em Alagoinhas. Vamos aguardar os próximos capítulos.

Apoio

Gente graúda que transita na política vê com bons olhos a pré-candidatura do ex-prefeito Paulo Cezar. Vê e poderá agir para proporcionar condições favoráveis à quinta disputa majoritária (como cabeça de chapa) de PC.

Líder

O líder não anda bem: depois dos escândalos, com ampla repercussão midiática e política, sua credibilidade, já arranhada por muitos malfeitos,está no rés do chão. 

Vice

Gustavo Carmo e Alfredo Menezes são nomes que circulam como possíveis companheiros de chapa do prefeito Joaquim Neto. Pela lógica eleitoral, a professora Iraci Gama será carta fora do baralho e não participará do intrincado xadrez para fortalecer a candidatura do chefe do executivo. 

Empresariado

O empresariado de Alagoinhas, que se movimenta na periferia da política, dificilmente conseguirá participar de chapas majoritárias viáveis e eleger representante orgânico para a Câmara de Vereadores. 

Suplente

Político com habilidade verbal inegável e capacidade de articulação, o deputado federal Joseildo Ramos, que é suplente, não está em posição confortável: Josias Gomes, deputado federal licenciado e secretário estadual de Desenvolvimento Rural, é o dono da cadeira e não dá muito espaço ao parlamentar alagoinhense. 

 

 

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje