Venda do HCA é parte da movimentação do segmento de saúde

Anunciada ontem (14), a venda do Hospital das Clínicas de Alagoinhas (HCA) é parte da grande movimentação estratégica do segmento de saúde no Brasil, mesmo durante a pandemia, com grupos empresariais expandido seus negócios para o interior do país visando ampliar rentabilidade e a presença em mercados que possam gerar lucros.

Em conversa, na manhã de hoje (15), com o prefeito Joaquim Neto o médico Mauro Azi, sócio do HCA e um dos responsáveis pelas tratativas que resultaram na venda para o grupo Athena Saúde, assegurou que o negócio vai fomentar investimentos no município e ampliar a oferta de serviços, inclusive de alta complexidade. “Quero te parabenizar por ser prefeito de uma cidade que está atraindo novos negócios na área de saúde”, afirmou Mauro Azi.

A venda do HCA, cujo valor anunciado é de  R$137 milhões, repercutiu na mídia segmentada da área econômica e gerou visibilidade para Alagoinhas, “capital” de uma macrorregião com mais de um milhão de habitantes, potenciais usuários dos serviços de saúde disponíveis no município.

Segundo o prefeito Joaquim Neto, o médico Mauro Azi o informou sobre o fechamento do negócio antes da imprensa anunciar a venda do HCA.  “A cidade ganha muito com a chegada de um grupo que possui grande experiência em gestão de saúde”, disse o chefe do Executivo. 

Código

O prefeito negou que a vigência do novo código tributário seja responsável pela venda do HCA. “Um negócio desta natureza, com montante expressivo de R$137 milhões, é concluído após avaliação de variáveis complexas, com foco no longo prazo e na capacidade de gerar retorno aos novos controladores”, enfatiza.

 

 

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje