SAAE: crise de gestão e de imagem – Opinião – Maurílio Fontes

O Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) enfrenta um momento ruim. Disso não há dúvida. Só não vê a situação real quem gosta de balões de ensaio e de mistificar a verdade.

Alagoinhas tem sido pródiga em produzir mágicos verbais e mistificadores da realidade, gente que a todo custo, inclusive ético, distorce fatos e constrói situações fantasmagóricas para defender as versões oficiais.

O sofrimento daqueles que não têm água para as suas necessidades básicas merece mais respeito.

A nossa inteligência também. Desdenha-se da inteligência alheia como se isso fosse objeto de uma troca mercantilizada, na qual os benefícios auferidos serão cada vez maiores na razão direta do escamoteamento da verdade.

A gestão do SAAE tem sido pouco eficiente, senão as inconstâncias no fornecimento de água não pipocariam em diversas quadras do município.

Além das questões operacionais, de sua inteira responsabilidade, o diretor geral do SAAE, Sylvio Farias Vianna, a partir de ontem, com a decisão do Tribunal de Contas dos Municípios que o penalizou com multa e devolução de recursos por acumulação de funções na EMBASA e no órgão municipal (ainda cabe recurso), passou a enfrentar um embate a mais: defender-se junto ao TCM e provar a licitude dos atos administrativos que lhe permitiram receber em determinado período de 2011 das duas empresas.

Os problemas impactam diretamente na imagem do SAAE, em processo de contínuo e acelerado desgaste pela queda da qualidade dos serviços prestados.

Qual o planejamento de comunicação do SAAE? Quais as ferramentas modernas que são utilizadas por sua Assessoria de Comunicação? Qual o trabalho de relações públicas implementado para minimizar a percepção negativa da pouca eficiência da autarquia? Qual o posicionamento de imagem que o SAAE deseja solidificar junto ao consumidor nos próximos anos?

Uma Assessoria de Comunicação com métodos arcaicos, procedimentos vetustos e tentativas de agradar a tudo e a todos, de maneira plástica e sem sal, resultará em um jogo de soma zero para a melhoria da imagem do Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Alagoinhas.

Sair do inferno astral é imperativo. Lidar com o zodíaco pode ser até uma alternativa. Mas o trabalho sério, planejado e eficaz é o único caminho para apresentar resultados imediatos e de longo prazo.

Chega de factóides.

Quando o SAAE vai mal, a sociedade alagoinhense é a grande perdedora.

 

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje