Quem é o ghost writer do diretor presidente?

Basta comparar textos antigos/atuais e de pronto se saberá que o diretor presidente  precisou de um ghost writer para me atacar.

Com um vocabulário esmerado (sic), o fantasma supõe serem verdades os ataques a mim dirigidos.

Esqueceu o fantasma, de forma transparente, como alardeia agir seu patrão, de mostrar à sociedade alagoinhense as relações do diretor presidente com o governo municipal: tem uma pessoa próxima nomeada em cargo de confiança na Prefeitura de Alagoinhas, que colabora para o aumento do orçamento doméstico.

São parceiros – governo e comunicador – nos interesses e o diretor presidente confunde radiojornalismo com amizade, postulando um profissionalismo que não detém.

Trabalhar em uma empresa por 13 anos pode ser sim, não se nega, sinal de competência. Contudo, outras interpretações podem ser dadas ao fato, tão caro ao diretor presidente.

Tem registro profissional para trabalhar em emissoras de Salvador?

Alteridade, caro ghost writer, nada tem a ver com vassalagem e pusilanimidade.

Prezado ghost writer, caro diretor presidente, sei bem o que é alteridade e a pratico na vida cotidiana, ao contrário do que pretendem asseverar seus factóides sem qualquer credibilidade.

Não será meu juiz quem se esconde nas sombras para prestar serviço ao diretor presidente.

Não pretendo ser proprietário do meio onde atuo, mas o meu é diferente daquele em que transita o diretor presidente.

E mesmo assim ousa falar em credibilidade e em uma carreira vitoriosa.

Não proponho um embate dialético, porque aí seria exigir demais do diretor presidente, que se contorce a cada dia para construir uma cidade que não existe visando satisfazer os desejos oficiais.

Vide a situação do SAAE: enquanto os consumidores não têm água, o diretor presidente registra a competência da autarquia e de seus diretores, como se aqui fosse o país de Alice, com mil maravilhas.

É melhor procurar saber o que é dissonância cognitiva. Algo simples, mas com grande poder explosivo quando se quer construir irrealidades.

Posto isso, encerro o embate verbal, a não ser que o missivista alugado resolva me atacar novamente.

O diretor presidente realmente tem muitos amigos, dentre eles o ghost writer, que não aluga o microfone, mas coloca à disposição do CEO do site o teclado de seu computador, assim como algumas palavras que ele consegue arregimentar com ajuda do Google.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje