Nomeações para cargos de confiança geram tensão no Paço Municipal

Para efeito midiático está tudo bem. Mas o fato é que a tensão é uma constante no Paço Municipal em razão do fechamento da lista com os nomes para compor os cargos de confiança (CC2, CC3 e CC4) da Prefeitura de Alagoinhas.

O trabalho tem sido árduo para atender tanta gente que “quer trabalhar na administração municipal”. Nos bastidores, há um verdadeiro cabo de guerra. Muitas indicações de padrinhos e madrinhas para preencher as vagas.

No interior do governo, uns se acham no direito de indicar mais cargos do que outros. Se não fosse a habilidade do secretário de Governo, João Rabelo, a fogueira das vaidades já teria queimado o Paço Municipal.

Hoje, existem 261 cargos de confiança na Prefeitura de Alagoinhas de livre nomeação e exoneração do prefeito.

Muitas reuniões para definir nomes, encontros para desacertar o que estava acertado e grandes insatisfações de alguns, que sem padrinhos e madrinhas fortes, se apegam aos santos de sua devoção para continuar ou ingressar no serviço público municipal nos cargos de confiança.

Situações naturais e corriqueiras na politica brasileira. Nada a estranhar.

O fechamento da lista com os nomes dos cargos de confiança exige grande engenharia política, paciência de monge budista, disciplina, resignação, capacidade para ouvir impropérios dos mais exaltados e uma disposição extra humana para atender a tantos interesses contraditórios.

Mas com tudo isso, no final muitos ficarão insatisfeitos.

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje