No mês da consciência negra, o projeto Terças na Tela traz a mostra Novembro Negro

CENTRO DE CULTURA DE ALAGOINHAS

Cultura, tradições e identidade são os temas abordados nos três filmes que fazem parte da mostra Novembro Negro do Circuito Popular de Cinema e Vídeo, que serão exibidos durante todas as terças-feiras do mês em que se comemora a consciência negra. Os filmes “Arte na Cabeça – Uma análise sobre a ressignificação dos jovens negros de Salvador através dos penteados afros”, “Negros” e “Cantador de Chula” serão exibidos em quatorze espaços culturais da capital e do interior. Os Centros de Cultura de Guanambi, Camillo de Jesus Lima, de Vitória da Conquista e Espaço Xisto Bahia não participam da mostra. A programação é gratuita.

“Arte na Cabeça – Uma análise sobre a ressignificação dos jovens negros de Salvador através dos penteados afros”, dirigido por Cátia Albuquerque, retrata o visual afro dos adolescentes negros através de seus penteados. O filme foi produzido com o intuito de compreender as mudanças do jovem negro em relação à estética e à vaidade, a sua nova construção identitária  e suas vivências com o visual dentro da sociedade. O vídeo apresenta uma entrevista com a antropóloga Goli Guerreiro, além de depoimentos de algumas profissionais de estética, dentre elas Negra Jhô, em que relatam o surgimento das primeiras ideias de trabalhar penteados afros com os negros adolescentes. Jovens músicos também participam, explicando as dificuldades que existiram, e ainda existem, na aceitação da sociedade e o preconceito em relação à estética masculina.

Já em “Negros”, de Mônica Simões, a construção da imagem do negro na Bahia por meio de filmes e vídeos de arquivo, público e privado, dos anos 1920 até o ano 2000, é embasa esse documentário de cinqüenta e dois minutos. O foco do roteiro não é a grande narrativa da história oficial e sim as práticas do cotidiano que surgem de uma câmera despretensiosa. Os dois primeiros filmes serão exibidos nos dias 05 e 12 de outubro.

Nos dias 19 e 26 de outubro é a vez de “Cantador de Chula”, de Marcelo Rabelo, entrar em cartaz nos espaços culturais. Forte herança africana, a chula é o canto principal de algumas modalidades do samba no interior da Bahia, caracterizados por sua técnica vocal. O filme caminha pelo recôncavo e agreste baiano, onde podemos ouvir algumas chulas e outras cantigas tradicionais além de conhecer mais sobre essa tradição, através de cantos de moradores locais e pelos mestres e mestras da região.

SERVIÇO

Mostra Novembro Negro – Circuito Popular de Cinema e Vídeo

05, 12, 19 e 26 de outubro (terças-feiras)

Gratuito

Espaços Culturais SecultBA

 

Fontes: Secretaria Estadual de Cultura/Centro de Cultura de Alagoinhas

 

 

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje