Mais da metade da população de Alagoinhas reprova atendimento do sistema público de saúde – Exclusiva

Pesquisa realizada pela empresa TECNODADOS para a Prefeitura de Alagoinhas constatou que 52,80%  dos entrevistados consideram o atendimento do sistema público de saúde precário e demorado.

Outro contingente – 21,70% – registrou em suas respostas que o reduzido número de médicos é o segundo maior problema da saúde municipal.

As outras respostas foram as seguintes: falta de especializações médicas, 7,90%; falta de ambulâncias, 4,70%; atendimento ruim de funcionários, 3,70%; falta de medicamentos, 3,70%; salas de espera desconfortáveis, 1,00%; não tem problema, 3,10%; não sabe/não opina, 1,40%.

Político que ascendeu com o uso populista da saúde, o prefeito Paulo Cezar ainda não conseguiu resolver estruturalmente as questões vinculadas à área.

A reprovação do atendimento aos pacientes por mais da metade da população é um claro indício de que há muito por fazer.

 

Elogios fartos de parte da imprensa, especialista em criar artificialismos e irrealidades, não resolverão os problemas do sistema municipal de saúde de Alagoinhas, que precisa de aperfeiçoamento de sua gestão.

Ou será que a pesquisa vale apenas para ressaltar a aprovação do prefeito?

O governo de Paulo Cezar  é defensor da antológica frase do ex- embaixador e ex-ministro Rubens Ricupero – “O que é bom a gente fatura; o que é ruim, esconde” – ?

Reprovação por áreas:

Barreiro: 41,00%

Mangalô: 61,50%

Urbis III: 64,10 %

Jardim Petrolar: 70,60%

Miguel Velho: 29,40%

Silva Jardim: 62,10 %

Alagoinhas Velha: 76,70% (maior índice de reprovação)

Praça Kennedy: 50,00 %

Rua do Catu: 60,00%

Santa Terezinha: 43,30%

Urbis I e II: 61,30%

Praça Santa Isabel: 60,00%

15 de Novembro: 65,00%

INOCOOP  I e II: 68,40%

Riacho da Guia: 21,10%

Boa União: 30,60%

 

 

 

 

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje