Jornal cogita Neto e Wagner em delações; ambos negam irregularidades

jaques-wagner-acm-neto-abracados-governadoria-foto-manu-dias-govba

A política baiana deve ser novamente sacudida pelas delações da Operação Lava Jato. Conforme reportagem do jornal O Estado de São Paulo desta terça-feira (2), Leo Pinheiro, ex-presidente da OAS, entregará um suposto esquema de caixa dois na campanha de Jaques Wagner (PT), e Marcelo Odebrecht, ex-presidente da Odebrecht, vai revelar pagamentos irregulares para a campanha do prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM).

O nome dos dois políticos já apareceu em planilha encontrada pela força-tarefa da Operação Lava Jato na casa do ex-presidente de Infraestrutura da Odebrecht, Benedicto Junior (veja aqui e aqui).

Defesas – À reportagem, Wagner afirmou que prefere aguardar o depoimento por considerar que o ex-presidente da OAS “está sob muita pressão”. Já ACM Neto, divulgou uma nota à imprensa baiana, nesta terça-feira (2), em que justificou que a maior parte do financiamento da sua campanha de 2012 foi proveniente de recursos recebidos pela direção nacional do Democratas. Conforme o  prefeito, “empresas, incluindo a Odebrecht, doaram recursos ao DEM nacional, que os repassou à campanha dele em Salvador, de forma transparente e dentro da legalidade”. O comunicado ainda diz que toda a prestação de contas da sua campanha foi aprovada pela Justiça Eleitoral e está à disposição no site do TSE.

Fonte: bahia.ba

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje