Interferência na PF: auxiliares defendem que depoimento de Bolsonaro seja dado por escrito

Auxiliares do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) informaram ao Supremo Tribunal Federal (STF) o desejo de que o depoimento do presidente para o inquérito em que apura interferência na Polícia Federal seja dado por escrito. O pedido foi endereçado ao ministro Celso de Mello.

Procurador-geral da República, Augusto Aras deve se manifestar no mesmo sentido, lembrando precedente do ex-presidente Michel Temer (MDB), autorizado por Barroso a não comparecer pessoalmente na oitiva em 2017.

Por lei, autoridades têm prerrogativa de responder por escrito em caso de prestar depoimento como testemunha. Assim como Temer, Bolsonaro vai ser ouvido na condição de investigado. Com informações da coluna Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo.

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje