Deputadas querem punir Isidório por “homofobia”

fabiola-mansur-e-luiza-maia_1636334

O Conselho de Ética da Assembleia Legislativa da Bahia só deve receber na próxima semana a representação contra o deputado Pastor Isidório de Santana (PDT), feita pela Comissão dos Direitos da Mulher e a Bancada Feminina da Casa. Ele está sendo acusado de quebra de decoro parlamentar e preconceito de gênero por declarações consideradas “homofóbicas” e “machistas”. O parlamentar, que é evangélico, pode perder o mandato caso seja condenado pelo Conselho de Ética.

A gota d’água para as deputadas foi um vídeo que Isidório postou na internet, no Dia das Mães, ao lado de sua genitora, agradecendo-a “por não ser sapatão”, o que permitiu ele ter nascido, motivo para exaltar que a mãe teria “a xoxota mais santa do mundo” [assista a vídeo abaixo].

As deputadas Fabíola Mansur (PSB) e Luiza Maia (PT) acharam que Isidório passou dos limites no que chamam de processo de “desrespeito às mulheres” e “apologia à homofobia”. Quando o deputado integrava os quadros do PSB, Fabíola já tinha defendido sua saída da legenda.

Na sessão desta terça-feira, 17, da Assembleia Legislativa, a deputada Luiza Maia cobrou da mesa diretora o envio rápido da representação ao Conselho de Ética. “Um poder não pode aceitar um dos seus membros com postura tão homofóbica e machista. Não se pode ter medo dos ataques de ódio e dessa histeria contra os homossexuais”, reclamou.

Isidório queixou-se de que querem cassar “o segundo deputado mais votado da Bahia” e provocou que, na Assembleia, não se sabe ao certo quem “é homem ou mulher”.

A deputada Fabíola Mansur retrucou que a votação de um deputado não tem influência na Casa, pois segundo ela todos os parlamentares teriam o mesmo “peso”.

Homenagem

Isidório insiste que não fez nada de mais. Pensa que, ao contrário, prestou uma homenagem às mães  exaltando a feminilidade delas. “Homenageio as mães todo ano no dia delas. Só fiz elogiar o fato dela não ser sapatão, do contrário eu não nascia. Se ofendi alguém, peço desculpas. Agora quem acha isso imoral não fala nada contra peça de teatro com patrocínio oficial onde aparece um grupo de atores enfiando os dedos nos traseiros”.

A referência é à peça “Macaquinhos”, encenada na mostra Sesc Cariri de Culturas, em Juazeiro do Norte (CE). Na encenação, oito atores nus vão explorando os ânus uns dos outros. O episódio causou furor na internet no ano passado.

O que está por trás da briga de Isidório com as deputadas é o projeto do Plano Estadual de Educação enviado pelo governo para aprovação na Assembleia.

O deputado não aceitou as referências de gênero e sexualidade na proposta original. Gritou, levou claque e conseguiu a retirada  dos termos do projeto na Comissão Conjunta da Assembleia Legislativa da Bahia, votado na semana passada.

Isso irritou as parlamentares que apoiam o movimento de luta em defesa dos homossexuais e o empoderamento feminino.

As últimas performances de Isidório desagradaram ao presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, pelo fato de o deputado representar o partido na eleição deste ano como candidato a prefeito de Salvador.

(Foto: Adilton Venegeroles e Mila Cordeiro / Ag. A TARDE)

Fabíola alega que número de votos não é parâmetro para punição; Luiza Maia diz que Assembleia não aceita discurso machista

Parecer

A representação contra Isidório ainda não foi apreciada pela mesa diretora da Assembleia. Pelo regimento, um relator vai analisar o caso e dar um parecer a ser votado pelos 11 membros da mesa. Se for aprovado, é remetido para o Conselho de Ética que julgará o caso.

Ele pode ser absolvido ou punido a uma pena que vai da repreensão à cassação. Não se tem notícia da Assembleia ter cassado um deputado por falta de decoro.

O deputado Carlos Geilson (PSDB), integrante da mesa diretora, numa análise preliminar do caso, acha que não se caracterizou quebra de decoro pois o vídeo de Isidório foi feito na casa dele e não na Assembleia.

Em relação aos discursos considerados homofóbicos, lembrou que a palavra do deputado em plenário é inviolável. “Creio que a mesa vai decidir sobre essa representação até a próxima semana”, disse o deputado.

Fonte: A Tarde

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje