Declarações de Campos desagradam PT e PSDB

As declarações dadas pelo pré-candidato a presidente da República, o ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), em entrevista à Tribuna publi­cada na edição de ontem causou repercussão no campo político estadual, em especial nas alas petistas e tucanas.

O pernambu­cano teceu duras críticas à presidente Dilma Rousseff (PT), líder das últimas pesquisas de intenções de votos divulgadas pela imprensa.  “O fato é que estamos há quatro meses das eleições e o Brasil está pior do que em dezembro de 2010. O Brasil cresce menos, o juro real é mais alto, a violência é maior, o SUS está com dificuldade, na área de educação não houve avanços. O fato concreto é que depois de um ciclo de melhora, o Brasil vive um ciclo de piora com a presidente Dilma”, declarou.

O presidente estadual do PT, Everaldo Anunciação, rebateu a declaração. O petista, além de rechaçar a figura de Campos frente ao conhecimento da população à sua imagem, enalteceu os avanços realizados pelo PT nos últimos anos. “Não entendo como ele acha que o Brasil não cresceu com Dilma. Se ele considera que mais de um milhão de jovens estão recebendo cursos profissiona­lizantes, que nós temos o terceiro maior crescimento do PIB e ajudamos na distribuição de renda, dando oportunidade de vida digna a todos, realmente, não compreendo qual é a referência de bondade dele”.

Questionado se acredita na influência de Campos na eleição para governo da Bahia, Anunciação negou e creditou interferência de outro pernambucano. “Só tem um pernambucano que influencia a eleição aqui e não é ele: chama-se Luiz Inácio Lula da Silva. Eduardo está quilômetros para trás de Lula no quesito de influência e simpatia”, provocou.

 

Fonte: Política Livre

 

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje