CPI dos Contratos morreu por falta de oxigênio político na Câmara de Vereadores de Alagoinhas

Na tarde desta quinta-feira, com o plenário da Câmara de Vereadores de Alagoinhas lotado, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Contratos, proposta pelos vereadores petistas Radiovaldo Costa e Luciano Sérgio, morreu por falta de oxigênio político, ou seja, em razão da inexistência de assinaturas suficientes que garantissem o seu acolhimento pela Mesa Diretora.

Seis é o número mágico que garantiria a criação da CPI.

O governo municipal agiu politicamente, manteve sua base unida e inviabilizou as pretensões dos vereadores oposicionistas, que aceitavam, inclusive, que a amplitude das investigações chegasse aos dois governos do ex-prefeito Joseildo Ramos, embora não houvessem, a priori, “fatos determinados” para a ampliação dos trabalhos dos vereadores, alargando o horizonte de tempo a ser esmiuçado.

Vereadores da base aliada foram vaiados pelos espectadores, que não se conformaram com a postura da maioria.

 

 

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje