BATE PRONTO 87

Dias tensos em Alagoinhas por conta da intervenção da prefeitura no sistema de transporte urbano, retirando a empresa Xavier e abrindo oportunidade para a Lis, ainda não oficializada como a nova permissionária, mas que tem 100% de chance de assumir as linhas. Os investimentos foram altos e é preciso recuperar o montante. Para isso, os ônibus azuis terão que rodar. Navegar é preciso. Rodar é mais urgente ainda. 

ONIBUS LIS 1

Reunião I

Na última quarta-feira, na sede do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) aconteceu reunião para tratar da substituição da Xavier. Sentaram à mesa o prefeito Paulo Cezar, o secretário de Governo João Rabelo, Anderson Baqueiro, superintendente da SMTT, o advogado Ricardo Marcolin, procurador-geral da Prefeitura de Alagoinhas, o vereador José Cleto, o dono da Lis, conhecido como “Carlão”, e sindicalistas. O que faziam os sindicalistas na reunião? O ambiente não era o adequado para eles, visto que o dono da Xavier não foi convidado.

Reunião II

Sindicalistas que não tem a nada a ver com Alagoinhas e não trabalham para o seu desenvolvimento querem definir o rumo do sistema de transporte urbano, atribuição do poder público municipal. Uma fonte, sob condição de anonimato, afirmou ao Alagoinhas Hoje que a Lis seria indicação dos sindicalistas. Aparentemente, o embate entre capital x trabalho só é levado às últimas consequências quando interessa aos “donos” dos sindicatos. A permissividade campeia.

Reunião III

Vereador da base governista, também sob condição de anonimato, disse ao site que seu colega de bancada José Cleto, que de banana não tem nada, foi escalado para defender a Lis nas próximas sessões do legislativo, quando a temperatura certamente estará acima da média. Questionado, o edil evitou enumerar os motivos da escalação de Cleto como defensor titular da nova empresa. Exercício de premonição do site: Cleto negará o conteúdo desta nota e, mais ainda, dirá que nem participou da reunião.

Reunião IV

Inconformado com a cassação da permissão para manter sua empresa funcionando, Juracy Xavier passou o final de semana reunido com advogados visando definir as estratégias de defesa para derrubar o decreto do alcaide. Todos estão confiantes e sabem que a querela poderá chegar ao Tribunal de Justiça. A debandada de funcionários não foi geral e mais da metade se solidarizou com o patrão. Outra parte foi contratada pela Lis.

Reunião V

Se uma demanda que será apresentada à Justiça amanhã for acatada muitos desdobramentos poderão acontecer nos próximos dias. Considerada “bala de prata”, a requisição contida na peça elaborada pelos advogados tem alto poder explosivo. É esperar para ver o comportamento do julgador.

Emergência

Para especialistas em direito e gente que transita no Paço Municipal, o estado de emergência do sistema de transporte urbano de Alagoinhas é artificial e terá grandes dificuldades de sustentação na Justiça. A pressão sobre a Xavier e a decisão pela Lis, sem critérios objetivos e procedimento licitatório, podem comprometer o propósito do prefeito e de seus asseclas mais diretos.

Silêncio

A administração do prefeito Paulo Cezar optou pelo silêncio no fim de semana e não emitiu sequer uma nota oficial sobre a questão envolvendo Xavier e Lis, futura permissionária das linhas até então concedidas à empresa de Alagoinhas. Em tempos de redes sociais, timing é tudo.

Reféns

Os empresários do transporte urbano de Alagoinhas sempre trabalharam contra a realização do processo licitatório do sistema, que daria legalidade à concessão das linhas. Entraram na Justiça e melaram a possibilidade de licitação. Hoje, com arremedo de legislação, eles se tornaram reféns da vontade imperial do Executivo. Na sexta, Juracy foi “degolado”. Amanhã, Raimundo Stélio, dono da empresa Cidade de Alagoinhas, poderá ser o próximo.  Não há segurança alguma e novos entrantes enfrentam poucas barreiras.

Vice

Na terça-feira, 1º de dezembro, a Câmara de Vereadores elege o vice-presidente da Casa. José Cleto e Jenser Souza são os nomes citados como possíveis candidatos. O vice não tem função na mesa diretora, a não ser substituir o presidente quando for necessário. Se não houver consenso, os postulantes vão se enfrentar. O clima, entretanto, é cordial e não há disputa acirrada.

Empresários

Os empresários Altino Junior, da União Brasil Transportes, e Anderson (Andinho) Conceição, um dos proprietários da AML, prestigiaram a posse do vereador Carlos Renan de Jesus Santos na última terça-feira. O novo parlamentar de Alagoinhas está bem de amigos.

 

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje