BATE PRONTO 34

Mantendo o padrão, a coluna traz nesta quarta-feira dez notas sobre assuntos políticos e administrativos de Alagoinhas com enfoque crítico, característica principal do trabalho do site. Alguns poucos ficam incomodados. Problema deles. Mas a maioria absoluta dos leitores aprova o conteúdo das colunas até aqui publicadas. Novos leitores estão buscando as antigas colunas. Afinal, são quase 50.000 visualizações de páginas em um pouco mais de 30 dias.

Boa leitura.

Novas relações I

O prefeito Paulo Cezar e o deputado federal Luiz Argôlo (PP) voltaram rapidamente a viver um período de novas relações, muito antes do que pessoas sensatas esperavam. Mas nada a estranhar: políticos, com raras exceções, avaliam prós e contras, engolem os sapos que forem necessários para atingir algum objetivo. O prefeito é um especialista neste tipo de gastronomia: engolir batráquios é com ele. Às vezes é melhor tomar posições e mantê-las do que ser biruta de aeroporto.

Novas relações II

Por mero cálculo político, o prefeito não diz publicamente aquilo que afirma em privado sobre suas relações com o deputado Luiz Argôlo. Por seu turno, o deputado finge desconhecer o comportamento usual do mandatário municipal. Na próxima segunda-feira, os dois terão audiência com o governador Wagner. Muitos sorrisos para os fotógrafos. E os dois fingindo que as novas relações serão permanentes. Na verdade, um querendo enganar o outro.

Rendimentos

Sem conseguir dar continuidade à obra do Loteamento Santa Terezinha e Mãe Cirila, a Prefeitura de Alagoinhas mantém os recursos aplicados na Caixa Econômica. Os rendimentos já teriam ultrapassado mais de R$1.500.000,00. Poder público tem obrigação de executar obras e atender às demandas da população. Melhores rendimentos sociais seriam as conclusões das várias etapas da obra. Mercado financeiro é espaço para bancos e especuladores.

SMTT

A Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT) homologou o concurso público realizado no ano passado para suprir vagas existentes. Mas até agora não chamou nenhum aprovado. Enquanto isso, o tráfego de veículos nas ruas centrais da cidade é um verdadeiro caos.

Financiamento

Representantes a instituição andina que poderá emprestar alguns milhões de dólares à Prefeitura de Alagoinhas chegam no domingo para conhecer os gestores municipais e verificar as necessidades do município. O governo vende a ideia de que os recursos representarão a redenção total de Alagoinhas. A carência proposta é de quatro anos e o prazo de pagamento é de 12 anos. Estratégia muito arriscada. E discurso falacioso.

Exposição

Sem conhecer a liturgia do cargo (expressão cunhada pelo vetusto Sarney), o prefeito Paulo Cezar tentou viabilizar a fala da secretária de Infraestrutura, Sonia Fontes, em um programa de rádio, mas foi cortado pelo âncora em razão da “falta de tempo”. Agendar entrevistas é atribuição da Secretaria Municipal de Comunicação e não do chefe do Executivo, que após quatro anos e meio de mandato, ainda não aprendeu o que pode e o que não deve fazer. Exposição indevida por mero voluntarismo.

SPC/SERASA

Fontes muito bem informadas afirmaram ao Alagoinhas Hoje que uma instituição pública estaria com o cadastro negativado por conta de débitos não honrados com fornecedores. Internamente, ninguém quer ouvir falar sobre o Serviço e Proteção ao Crédito e SERASA. Uma vergonha se o fato for confirmado. As notícias correm e têm origens inesperadas.

Rodoviária

Depois da histórica audiência pública na Câmara de Vereadores, no final de Fevereiro, parece que a privatização da rodoviária de Alagoinhas está em compasso de espera. O governo é bom para começar projetos e ruim para dar sequência a eles. Os exemplos estão aí para quem quiser conferir: canal do Silva Jardim, loteamento Santa Terezinha, estádio Antônio Carneiro.

Seletivo

Próxima de atingir o limite prudencial com gastos salariais, a administração municipal está organizando um processo seletivo para preencher vagas nas secretarias de Assistência Social e Saúde. Melhor seria eliminar fantasmas, controlar despesas e fazer uma gestão competente de pessoas, sem levar em consideração quase que exclusivamente os critérios políticos em detrimento das questões técnicas.

Veículos

Leitor, sob condição de anonimato, sugeriu uma boa pauta: os valores dos aluguéis de veículos na Prefeitura de Alagoinhas e na Câmara de Vereadores. Há suspeitas de que os contratos registram um número determinado de veículos e a realidade é completamente diferente. Uma forma de superfaturar os contratos.

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje