BATE PRONTO 100

A coluna chega à sua centésima edição em um momento de muita ebulição, com acordos políticos sendo feitos e desfeitos, resultando em desdobramentos imprevisíveis nos próximos dias. A aliança entre o prefeito Paulo Cezar e o deputado federal Paulo Azi não mais existe, configurando um novo cenário na disputa pela Prefeitura de Alagoinhas. Por ser uma edição especial, a BP 100 tem mais notas do que as dez costumeiras. Até a próxima coluna.

FOTO CÂMARA DE VEREADORES DE ALAGOINHAS

Comissão Parlamentar de Inquérito I

A nova configuração política da Câmara de Vereadores de Alagoinhas abre grandes possibilidades de instalação da CPI do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE), já tentada por três vezes e abatida no nascedouro: o requerimento precisa de seis assinaturas e a oposição conseguiu cinco. Agora, com o enfraquecimento numérico da base aliada, existem reais possibilidades de derrota do governo.

Comissão Parlamentar de Inquérito II

Outra CPI, tida como a bala de prata da oposição, é a que pretende investigar a Secretaria Municipal de Assistência Social (SEMAS), com foco direcionado para o Programa Minha Casa Minha Vida, objeto de muitas especulações na cidade. A oposição acredita ter fôlego para bancar a instalação das duas CPIs. E mais: contaria com votos dos vereadores vinculados politicamente ao deputado federal Paulo Azi (DEM).

Azi I

Se os seis vereadores do grupo Azi optarem pela oposição, o governo municipal não enfrentará bom tempo nos próximos meses e uma tempestade poderá se abater sobre o Paço Municipal. De outro lado, um interlocutor da coluna afirmou que vereadores azistas possuem indicados na administração e que suas posições na máquina serão mantidas.

Azi II

O momento político exige posições firmes, por isso é difícil acreditar na concordância do deputado Paulo Azi (DEM) com o suposto jogo duplo e dúbio de seus aliados na Câmara de Vereadores de Alagoinhas. Não dá para apoiar o médico Joaquim Neto e ao mesmo tempo continuar tendo apaniguados aboletados na máquina municipal.

Primeiro damo I

Em um arroubo de valentia, o talvez futuro primeiro damo de Alagoinhas, ex-vereador em Salvador, teria cobrado do prefeito Paulo Cezar a confirmação da pré-candidatura de Sônia Fontes, no momento de maior enfraquecimento das pretensões do casal. A mesa, que não tinha nada a ver com o zigue-zague do alcaide, é que foi a vítima da ira damista. Segundo consta, o prefeito não esboçou nenhuma reação e nem colocou o primeiro damo em seu devido lugar.

Primeiro damo II

Se em situação crítica, com a fragilização, em determinados momentos, da pré-candidatura de Sônia Fontes, o primeiro damo cobrou do prefeito o que a ele não era devido, imagine se sua consorte (seria o azar do povo de Alagoinhas?) passar a comandar o Paço Municipal? De primeiro damo, será promovido à iminência parda do governo sonista.

Estação

As obras da estação de tratamento de esgoto, ao lado do futuro condomínio Quinta das Lagoas, situado depois da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), terão que ser concluídas até o final de junho. Se isso não acontecer, o governo federal utilizará expediente pouco comum, mas avassalador: tomada de contas especial, que pode deixar o gestor inelegível. A dilatação do prazo é impensável.

Chapa

Alagoinhas poderá ter chapa majoritária composta por duas mulheres: Sônia Fontes é nome certo na urna eletrônica. O nome mais cotado para vice, apesar de todos os desmentidos, é o da professora Ana Costa, que tem o deputado estadual Marcelo Nilo como padrinho político.

Noiva cobiçada

O PSL de Alagoinhas se transformou na noiva mais cobiçada da pré-campanha. O deputado Joseildo Ramos tentou controlar o partido e não conseguiu. Dirigentes da legenda entabulam negociações com o governo municipal e Almir Silva deverá assumir a Secretaria de Agricultura, pasta que está sem gestor após o retorno de Jorge da Farinha à Câmara de Vereadores. O ingresso na administração determinará o apoio da legenda à candidatura situacionista.

PTC

Aparentemente, a professora Jacilena Almeida, após várias movimentações em busca de uma legenda, permaneceu no PTC, comandado em Alagoinhas por Jessé Bico de Pena, atual secretário municipal de Relações Institucionais. A confirmação oficial, no entanto, só será possível a partir do dia 14, quando as filiações poderão ser checadas no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Jacilena apoiará Sônia Fontes? 

PMDB

O PMDB de Alagoinhas terá dificuldades para manter a aliança anunciada com a Rede Sustentabilidade. Muita água vai correr embaixo da ponte, mas certamente as pressões serão violentas com objetivo da sigla migrar para o DEM.

PPS

Ontem, no estacionamento da Câmara de Vereadores, Jorge da Farinha, que reassumiu sua cadeira no legislativo, disse que o PPS barrou seu ingresso. Jalmir Nunes, irmão de Jaldice Nunes, esposa de Jorge da Farinha, é assessor do deputado Arthur Maia há muitos anos. Maia é o presidente do PPS na Bahia. Farinha foi para o DEM e poderá ser o mais votado, segundo avaliação de um vereador da base do governo.

Presidente

Após o rompimento entre o deputado federal Paulo Azi (DEM) e o prefeito Paulo Cezar (PDT), como agirá o presidente da Câmara de Vereadores de Alagoinhas, Roberto Torres? Para uns, ele atuará como magistrado. Outros analistas da cena política acreditam que ele será um obstáculo para aprovação de projetos oriundos do Executivo.

Memo

O ex-vereador Luiz Sérgio Memo ingressou no Partido da República (PR) e está confiante em seu retorno ao legislativo alagoinhense, onde chegou em 2013 na condição de suplente do vereador Jenser Souza. Ele está trabalhando para ser titular de uma das 17 cadeiras da Câmara de Vereadores de Alagoinhas.

PTN

Desaparecido do cenário eleitoral, o ex-deputado estadual Filadelfo Neto (PTN), sem mandato há 25 anos, acredita ter chances de ganhar a eleição majoritária. A coluna pergunta: ele está fazendo o dever de casa? Filadelfo não é um político contemporâneo e tem dificuldades no diálogo com os novos segmentos da sociedade alagoinhense. Sua grande chance foi em 1976, quando disputou a eleição por uma sublegenda da Arena. Naquele ano, Miguel Santos Fontes (ARENA) ganhou a eleição e governou Alagoinhas entre 1977 e 1982.

Lançamento

O lançamento da pré-candidatura de Joaquim Neto (DEM) à Prefeitura de Alagoinhas acontecerá em 29 de abril, dia de seu aniversário. O evento promete ser de grande porte e a presença do prefeito de Salvador, ACM Neto, é esperada com muita expectativa.

PV

A pré-candidatura do ex-secretário municipal da Fazenda, Renato Almeida, sofre de paralisia numérica e não avança, como era esperado. Em julho e novembro do ano passado, este articulista disse a Renato que seu grande inimigo seria o tempo, que por ser exíguo, o impediria de se tornar conhecido. Ele argumentou que com a operação Lava Jato os eleitores estariam demandando um novo tipo de administrador público, mais técnico e menos político. Sua avaliação foi contaminada pelo fervor em busca de espaço eleitoral e a completa inexperiência nos embates políticos. Como se vê pelo quadro atual, Almeida errou feio. Assim como os incentivadores de sua postulação.

PSDB

Mesmo sabendo das dificuldades que terá para se manter na Câmara de Vereadores, Jorge Mendes optou por continuar no PSDB e assim reafirmar seu apoio à pré-candidatura de Juscélio Carmo. Muitos apostam que Mendes cavou sua sepultura eleitoral, mas o vereador alega que em política a fidelidade aos amigos deve prevalecer. Qual o preço a ser pago pelo ex-presidente da Câmara de Vereadores?

Tonho “Mouse”

Depois das confusões em que se meteu, Tonho “Mouse” teria optado por ficar sem partido. A confirmar. A ratoeira da política o fisgou e o deixou imóvel. 

Pesquisa

Tem gente com caderno de pesquisa quantitativa em mãos. Portanto, com informações privilegiadas. No entanto, sabe interpretar os números?

Sem rumo

Por mais que o deputado estadual Joseildo Ramos destaque o papel a ser desempenhado pelo PT na eleição municipal, não há como esconder que em Alagoinhas a legenda está sem rumo, sem alianças eleitorais e discurso inovador. Mais do mesmo, apesar da prontidão de seus assessores em negar a realidade incontestável. Políticos de todas as cores partidárias e ideológicas atestam o isolamento do PT alagoinhense. O pior é aquele que enxerga e não quer ver. 

“Margarido”

O ex-vereador Elionaldo Teles, que em 2008 perdeu a eleição para Paulo Cezar, reapareceu e tem participado de uma série de atividades em Alagoinhas. Homem digno, político exemplar, Teles já não é conhecido pelo eleitorado mais jovem, por conta da distância de seu município natal e das atribuições dos cargos que exerceu nos dois governos de Jaques Wagner e exerce na atual gestão estadual (assessor especial do secretário de Desenvolvimento Rural). Candidatura à Câmara de Vereadores seria um risco.

PDT

O rumo político do vereador José Edésio é mistério do labirinto do minotauro. Ele teria ficado no PDT, partido da base de Paulo Cezar, mas não apoiaria a candidatura situacionista. Edésio é grande amigo do médico Joaquim Neto.

Articulador I

Misto de empresário e articulador político, Altino Rocha Júnior atua fortemente nos bastidores da pré-campanha em Alagoinhas. Altino é diretamente ligado à administração municipal, com notória ascensão sobre alguns secretários e dirigentes de autarquias, mas também é muito próximo do médico Joaquim Neto, pré-candidato do DEM à Prefeitura de Alagoinhas. Em quem Altino votará na eleição majoritária?

Articulador II

Altino é forte na Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT), tendo atuado como bombeiro junto ao vereador Cleto da Banana, que não aceitava a nomeação do novo gestor da autarquia, Victor Carlos Sampaio Vergasta. Com garantia de acesso ao principal gabinete da SMTT, Cleto, que não é nenhum banana, passou a concordar com a nomeação.

Foto: Bigu

 

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje