BATE PRONTO 116

A campanha começa para valer amanhã (16) e dentro de 45 dias já saberemos os nomes do prefeito, vice-prefeito e dos 17 vereadores de Alagoinhas. Neste momento, os eleitores ganham importância e os políticos correm atrás deles com muitas promessas. Separar o joio do trigo é de bom alvitre. Nesta coluna, você terá um balanço do período da pré-campanha e projeções para o futuro. 

ELEIÇÕES 2016 LOGO

DEPOIS DE ROUBADA I

A candidata Sônia Fontes (PSB) não conversa com mais ninguém sobre alguns temas de campanha. Resolveu fechar a porta depois de roubada. O caso da gravação ganhou repercussão estadual e gerou expectativa negativa na largada da campanha, quando o cenário se mostrava, sob certos aspectos, favorável.

DEPOIS DE ROUBADA II

Para participar de reunião com Sônia Fontes, o interlocutor precisa deixar o celular fora do ambiente da conversa, de preferência desligado, sob os cuidados de alguém da assessoria da candidata ou em mãos do acompanhante (se houver). Todo o cuidado, agora, é pouco. Mas antes não foi e Sônia Fontes entrou numa roubada.

TENSÃO

A coligação proporcional entre PV e PSDB, articulada de última hora, está gerando muita tensão entre os vereadores Cabeça, Arão, Edilon, todos verdes, e Jorge Mendes (PSDB). Nos bastidores, acredita-se que Mendes tirará a vaga de uns dos três. Um deles confessou ao editor do site que sabe que não passou de mera engrenagem no interesse maior dos dirigentes partidários de assegurar a coligação majoritária entre PV e DEM, com objetivo de fortalecer a candidatura de Joaquim Neto.  

RELEASES I

A partir de amanhã (16), o Alagoinhas Hoje publicará releases originários das assessorias de comunicação dos candidatos à prefeitura. Os textos devem ser enviados para os seguintes endereços eletrônicos: diretor@alagoinhashoje.com.br e fontesmkt@gmail.com 

RELEASES II

Alguns lembretes aos jornalistas que enviarão releases: os textos devem estar revisados; fotos legendadas; textos informativos, sintéticos (no máximo 20 linhas) e não laudatórios (assessoria de imprensa não é ferramenta para elogiar o assessorado e tem objetivo precípuo de informar as atividades dos candidatos).

RETRÔ

A união entre PT/PCdoB é uma chapa retrô, que volta no tempo 12 anos, mas sem a força de Joseildo, que buscava a reeleição em 2004, e nem a performance de Pedro Marcelino, parlamentar de destaque na Câmara de Vereadores de Alagoinhas. Maurício Souza, atual companheiro de chapa de Joseildo, precisará, primeiro, ser conhecido, para depois agregar votos. Como o tempo de campanha é curto, é quase impossível que Souza colabore pragmaticamente com votos.

FUTURO

O deputado estadual Joseildo Ramos (PT) certamente sabe que nesta eleição está colocando em jogo seu futuro político. Sairá fortalecido, se ganhar. Em caso de mais uma derrota na disputa majoritária, a renovação do mandato parlamentar estará irremediavelmente comprometida. Ele enfrentará em Alagoinhas outros candidatos com a pretensão de conseguir uma cadeira na Assembleia Legislativa.

ESPAÇO

Não há espaço político em Alagoinhas, no futuro, para o deputado Joseildo Ramos (PT) e o vereador Radiovaldo Costa (Rede). Para um sobreviver o outro terá que morrer politicamente. Os dois transitam no mesmo espectro eleitoral, com algumas particularidades, e precisarão engordar suas dietas de votos se quiserem continuar na política. Neste caso, o emagrecimento será péssimo negócio.

ALVOS I

O prefeito Paulo Cezar e sua administração sempre foram os alvos da atuação parlamentar do vereador Radiovaldo Costa, ex-petista, que migrou para a Rede em dezembro de 2015. Ninguém vê ou ouve Costa criticar publicamente Joaquim Neto, Joseildo Ramos, Márcio Reis ou Samara Braga. Ele ainda não incorporou a percepção de que a disputa eleitoral exige definições estratégicas dos alvos e críticas mais amplas que objetivem desconstruir as propostas dos adversários.

ALVOS II

A fleuma quase britânica de Radiovaldo Costa não condiz com o natural friccionamento dos embates eleitorais, que não é ambiente para freiras enclausuradas. Demarcar espaços é importante e tentar se diferenciar dos concorrentes é tarefa fundamental de qualquer candidato majoritário.

MAIS POBRE

Quem é o candidato à Prefeitura de Alagoinhas mais pobre? Os ricos já apareceram, mas o mais pobre até agora não deu o ar da graça.

CAF

A CAF esCAFedeu-se? Tudo indica que o prefeito Paulo Cezar não vai administrar a montanha de dinheiro que viria se os recursos tivessem sido liberados. O próximo gestor poderá começar o governo com o cofre cheio de dólares.

APOSTA

Um vereador propôs aposta ao editor do Alagoinhas Hoje. Tema: votação de Renan de Jesus. Avaliação do parlamentar: ele não se reelege. Avesso a qualquer tipo de aposta, o âncora do AH preferiu esperar o dia 2 de outubro. Mesmo sabendo das dificuldades que os detentores de mandatos terão para assegurar a permanência na Câmara de Vereadores. Dificuldades gerais e não de um ou outro edil.

REDES SOCIAIS

Aproximadamente 50% da população de Alagoinhas utiliza o Facebook e o WhatsApp. As duas redes sociais poderão desempenhar papel importante na propagação das mensagens dos candidatos majoritários e proporcionais. Haverá overdose de comunicação. De outro lado, quem vacilar terá a negatividade potencializada. Todo cuidado é pouco.

CRÉDITOS

O Alagoinhas Hoje ainda não recebeu os créditos a que tem direito pela veiculação de anúncios publicitários da Prefeitura de Alagoinhas. O caso deixou de ser meramente financeiro, apesar da conhecida inadimplência da administração cezista, e passou a ter tons políticos. Alguém com força no governo brecou o pagamento em razão da discordância da linha editorial do site, independente e não alinhada aos interesses dos (as) “donos (as) do poder”.

TÁ DOMINADO

Sem condições para controlar a linha editorial do Alagoinhas Hoje, tem gente se valendo de outros veículos. O custo por mil é altíssimo. Alguém sabe o que é isso? Não é um palavrão.

MEDICINA

O deputado federal Paulo Azi (DEM) agendou audiência com o ministro da Educação, Mendonça Filho, e levará diretores da Estácio, instituição que implantará o curso de Medicina em Alagoinhas. Objetivo: acelerar os trâmites e assegurar o funcionamento do curso o mais rapidamente possível. A audiência acontecerá amanhã (16).

VELHOS TEMAS

Chuvas de verão, música de Caetano Veloso, é um primor. Mas também incentivo para que o passado seja esquecido. Ele não volta. O que resta é o futuro, seus novos ares, em plagas diferentes:

“Amores do passado, no presente
Repetem velhos temas tão banais”

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje