Afastamento do deputado Arthur Maia do PMDB terá consequências políticas em Alagoinhas

Em rota de colisão com a direção estadual do PMDB, sob controle dos Vieira Lima, que comandam a legenda com mão de ferro, o deputado federal Arthur Maia poderá sair do partido até o prazo final de filiação (5 de Outubro de 2013) para quem concorrerá a cargos eletivos na eleição de 5 de Outubro de 2014.

Os 50 diretórios municipais do PMDB ligados ao deputado, inclusive o de Alagoinhas,  não compareceram à convenção estadual da legenda que  aconteceu na última sexta-feira e elegeu o ex-ministro Geddel Vieira Lima como novo presidente.

Liderado de Arthur Maia, Gustavo Carmo, secretário de Relações Institucionais, certamente acompanhará o deputado se ele migrar para uma nova sigla. Ou ingressará no partido do prefeito e ficará engessado nas eleições de 14 e de 16?

O prefeito espera retirar do colete o nome de seu candidato (ou de sua candidata) em 2016, passando pela tentativa de apresentar sua esposa e secretária municipal de Assistência Social, Tatiana Andrade, como candidata à Assembleia Legislativa no próximo ano.

Ontem, o Alagoinhas Hoje ligou para o deputado federal Arthur Maia, mas ele não pôde conversar, por estar, segundo ele, em uma reunião.

Até o vice-presidente da República, Michel Temer, interviu para tentar diminuir os atritos entre os Vieira Lima e Maia, mas aparentemente não conseguiu.

Novos desdobramentos são aguardados. Com reflexos, inclusive, em Alagoinhas.

 

 

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje