A TARDE/Potencial Pesquisa: presidente Bolsonaro é apontado como pior “cabo eleitoral”

 

O governador Rui Costa (PT) é um melhor cabo eleitoral em Feira de Santana do que o ex-prefeito José Ronaldo (DEM), segundo o levantamento A Tarde/Potencial Pesquisa.

Rui é correligionário do deputado federal Zé Neto, que já tentou outras quatro vezes chegar à prefeitura, enquanto o ex-gestor municipal apoia o atual prefeito, Colbert Martins (MDB), que busca a reeleição.

Questionados se votariam em um candidato apoiado pelo petista, 52% dos entrevistados responderam que provavelmente ou certamente o fariam. E 38% das pessoas ouvidas afirmaram que provavelmente ou certamente votariam em um postulante apoiado pelo democrata.

Outro dado que reforçaria a melhor condição de “grande eleitor” de Rui em relação a Zé Ronaldo em Feira é o índice de rejeição menor a um candidato que tivesse o apoio do chefe do Executivo estadual.

Conforme o levantamento, 14% disseram que com certeza não votariam e 12% provavelmente não votariam em um postulante apoiado pelo governador. Enquanto isso, 22% responderam que não votariam de forma nenhuma e 14% provavelmente não votariam em um candidato com o apoio do ex-prefeito.

A pesquisa também investigou a possível influência de outros dois políticos sobre o eleitorado feirense: o presidente Jair Bolsonaro e o ex-presidente Lula.

Lula tem um desempenho inferior ao de Rui na cidade. Apesar de 42% dos entrevistados afirmarem que certamente ou provavelmente escolheriam alguém apoiado pelo ex-presidente, 24% disseram que com certeza não votariam em quem fosse apresentado como candidato com apoio de Lula. Ao mesmo tempo, somente 14% rejeitariam de maneira absoluta um postulante apoiado pelo governador.

Dos quatro citados, Bolsonaro seria de longe o pior cabo eleitoral no município, já que 36% dos entrevistados afirmaram que não votariam de forma alguma em quem fosse apoiado pelo presidente.

Aprovação

Se não figura como um “grande eleitor” em Feira de Santana, Bolsonaro conseguiu, por outro lado, melhorar sua avaliação na cidade, de acordo com a pesquisa. Em levantamento realizado no início de setembro no município, 22% dos entrevistados definiram o governo federal como ótimo ou bom – agora, este índice é de 30%. A avaliação “ótima” passou de 10% para 17% em um mês. Por outro lado, aqueles que consideram o governo Bolsonaro ruim ou péssimo diminuíram de 51% para 38%.

Quem também teve a administração melhor avaliada em relação à primeira pesquisa foi Colbert, cuja gestão agora é ótima ou boa para 30% dos feirenses – antes, esse era o diagnóstico de 23%. A mudança ocorreu principalmente na avaliação “ótima”, que passou de 5% para 11%. Definiram a administração municipal como regular 35%, enquanto 32% a classificaram como ruim ou péssima.

Com o trabalho bem analisado já no primeiro levantamento, com 49% de “ótimo/bom”, o governador conseguiu ainda melhorar seu desempenho, com uma avaliação positiva de 56%. Outros 29% classificaram o governo estadual como regular e apenas 13% como ruim ou péssimo.

 

Fonte: A Tarde

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje