Tribunal Regional Eleitoral julga na próxima semana processo do vereador Jorge Mendes

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) julgará na próxima semana o processo do vereador Jorge Mendes (PSDB).

A decisão terá reflexos na composição da Câmara de Vereadores de Alagoinhas.

Se os votos de Mendes não forem computados (situação atual; ele aparece no site do TSE com votação zero), o vereador Jorge da Farinha permanecerá no parlamento na próxima legislatura (2017/2020). 

Em sentido contrário, se os votos de Mendes forem validados, haverá troca de nomes.

Farinha sairá e Cabeça (PV) poderá assumir o mandato.

A situação, embora esteja vinculada diretamente ao vereador Jorge Mendes, interessa aos vereadores Cabeça e Jorge Mendes por conta da soma dos coeficientes eleitorais das duas coligações nas quais eles foram candidatos. 

O Alagoinhas Hoje entrou em contato com o vereador Jorge Mendes na tarde desta sexta-feira (9).

Ele alegou que o problema na justiça eleitoral está vinculado à prestação de contas de sua campanha à Assembleia Legislativa em 2014. 

Uma procuração de seu advogado deveria ter sido anexada aos documentos comprobatórios das despesas e receitas da candidatura. E não foi.

Com isso, ele ficou inelegível, mas na véspera da eleição ganhou recurso garantindo sua candidatura, mas os votos não foram computados. 

Mendes informou que não sabe quantos votos obteve, mas se ganhar no TRE solicitará a recontagem. “Me informaram que contaram até mais de 800 e se recontagem provar que superei Cabeça a vaga será minha”, afirmou ao editor do Alagoinhas Hoje. 

Ele citou dois radialistas (a dupla de sempre) como os maiores perseguidores de sua candidatura. A dupla veiculou informações sobre sua inelegibilidade, mas não divulgou na sexta-feira (30 de setembro) anterior ao dia da eleição o recurso que possibilitaria sua candidatura.

Mendes fez referência a um parente próximo, seu assessor na Câmara de Vereadores de Alagoinhas quando foi presidente, que se articulou com os dois radialistas para prejudicá-lo.

Os adjetivos dirigidos ao parente são impublicáveis. O “parentinho” anda cercando o prefeito eleito Joaquim Neto em busca de uma boquinha.

E contaria, segundo fonte do Alagoinhas Hoje, com apoio de um futuro secretário municipal, já anunciado pelo demista para ocupar pasta estratégica do governo, objetivando fazer negócios com a Prefeitura de Alagoinhas. 

O ex-presidente do legislativo alagoinhense mencionou também o prefeito Paulo Cezar como um dos maiores perseguidores de sua candidatura. “Mas não me arrependo da oposição que fiz ao governo municipal”, garantiu. 

O TRE quer limpar a pauta na próxima semana, antes do recesso forense. 

 

 

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje