Trabalhadores terceirizados da EBDA de Alagoinhas e Aramari estão há quase três meses sem receber salários

Os trabalhadores terceirizados da Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola (EBDA), vinculados à  LC, que atuam no escritório regional e nas estações experimentais de Alagoinhas e Aramari, estão há quase três meses sem receber salários.

Ainda não receberam os valores referentes aos meses de Agosto e Setembro. E o mês de Outubro já está quase no final.

As perspectivas não são nada animadoras.

São cerca de 11 pessoas que deveriam trabalhar apenas na área de serviços gerais, mas segundo informações de uma fonte do Alagoinhas Hoje, que solicitou anonimato, elas desempenham atividades de manutenção das estações, operam roçadeiras, motosserras e tratores (apenas em Alagoinhas).

Existem claros desvios de funções, pois as carteiras de trabalho foram assinadas para o exercício de atividades de serviços gerais.

Outros problemas são enfrentados pelos trabalhadores: estão há dois anos sem plano de saúde e vale transporte, os tíquetes para alimentação atrasam regularmente e os valores relativos às férias não são pagos dentro do prazo determinado em lei.

Até hoje, dia 21 de Outubro, um trabalhador que “entrou” de férias em Abril ainda não recebeu os valores relativos aos 30 dias de descanso devidos pela LC.

Além disso, de acordo com a fonte do site, os trabalhadores manipulam produtos químicos e não recebem os valores correspondentes à periculosidade, que é uma determinação legal.

O gerente regional da EBDA, José Osório Seixas Dourado, quando procurado pelos funcionários da LC, afirma apenas que o problema será resolvido, mas não apresenta nenhuma data e nem o cronograma de pagamento.

A direção da  EBDA precisa emitir um comunicado sobre a questão e assumir sua responsabilidade neste caso, que não é apenas da empresa contratada, já conhecida por atrasar os salários dos funcionários terceirizados das escolas estaduais em Alagoinhas.

As famílias dos trabalhadores que prestam serviços à EBDA  estão enfrentando graves problemas porque sem salário ninguém pode suprir suas necessidades básicas.

Mesmo assim, com todas as dificuldades, os funcionários da LC continuam exercendo suas atividades regularmente e não abandonaram seus postos de trabalho.

De outro lado, eles não percebem o mesmo compromisso do governo do estado (Secretaria de Administração e Secretaria da Fazenda), da direção geral da EBDA, comandada pelo alagoinhense Elionaldo de Faro Teles, e da empresa contratante – LC – , que não cumpre as mais básicas regras trabalhistas.

 

 

 

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje