“Todo o mercado de construção sabia da propina”

OPERAÇÃO LAVA JATO 1

O ex-executivo da construtora Andrade Gutierrez, Elton Negrão de Azevedo Júnior, disse em depoimento ao juiz Sérgio Moro, nesta segunda-feira (25), que todo o mercado da construção civil sabia das propinas pagas para o fechamento de negócios junto à Petrobras. Ele é acusado pelos crimes de dos crimes de organização criminosa, corrupção ativa, lavagem de dinheiro e chegou a ser preso na 14ª fase da Operação Lava Jato, mas foi solto em fevereiro deste ano, após fechar um acordo de delação premiada.

 A fala de Elton Negrão aconteceu logo que o juiz federal Sérgio Moro lhe pergutou se ele sabia sobre o pagamento de propinas por parte da Andrade Gutierrez, para que a empresa pudesse fechar contratos com a Petrobras. “Tinha conhecimento sim, o mercado todo tinha. Eu não sabia como, quando, quem, quanto, de que forma conseguia o dinheiro. Isso eu não sei dizer”, afirmou.

Durante cerca de uma hora, Negrão respondeu ainda sobre o cartel formado entre as maiores empreiteiras do país, que segundo as investigações da Lava Jato, negociavam entre si os preços de grandes obras da Petrobras, para direcionar as licitações. Ele disse que as empresas podiam até escolher onde e como queriam atuar. “Como a quantidade de obras que tinha era muito superior às empresas que estavam ali para fazer, tinha condição de colocar até primeira prioridade, segunda prioridade, terceira prioridade, porque as empresas não tinham condição de fazer”, explicou.

Além de Elton Negrão, outros dois delatores ligados à Andrade Gutierrez também falaram ao juiz Sérgio Moro nesta segunda-feira. Antônio Pedro Campello de Souza Dias e Flávio Gomes Machado também falaram sobre a ligação da empresa com o pagamento de propinas.

Fonte: G1

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje