Sul de Minas se torna foco de empresas estrangeiras

Até o fim de 2013, Pouso Alegre (MG) terá crescido 173% em relação à última medição, em 2010, segundo estimativas da prefeitura.

No mesmo período, o PIB nacional terá avançado 14% –caso a economia do país tenha expansão de 3% em 2013.

A chegada de grandes empreendimentos no município mineiro explica os números.

Estão previstas, para o meio deste ano, as inaugurações de pelo menos parte da fábrica da chinesa XCMG, que produz equipamentos de construção, e do centro de distribuição da Unilever, detentora de marcas como Kibon, Rexona e Ades, além de outras 22.

A farmacêutica indiana ACG também negocia a instalação de uma unidade no município.

Além dos investimentos na indústria, Pouso Alegre acaba de receber um shopping de R$ 150 milhões, o primeiro da região do sul de Minas.

Inaugurado em março, o shopping foi feito pela HSI Investimentos, empresa de gestão de fundos imobiliários com sede em São Paulo.

Segundo Luiz Dinhani, sócio da HSI, a escolha da cidade foi feita a partir de um estudo detalhado das condições econômicas e de localização. A chegada de indústrias e a proximidade de grandes rodovias, como a Fernão Dias, foram preponderantes.

Por ser o único centro comercial desse porte na região, o empresário espera atrair habitantes do entorno.

Márcio Araújo, diretor de operações da Safir, administradora do shopping, afirma que a empresa identificou ali um consumidor carente de shoppings, com dinheiro para gastar e poucas opções de estabelecimentos.

POLÍTICA PRÓ-ATIVA

Se a HSI escolheu Pouso Alegre, as novas indústrias “foram escolhidas” pela administração da cidade, afirma o prefeito Agnaldo Perugini (PT). Segundo ele, o município adotou uma política de busca “pró-ativa” de empresas.

Em outras palavras, assim que a prefeitura sabe que uma grande empresa deseja se instalar no Brasil, procura os interessados para apresentar a cidade mineira.

“Certa vez, vi que poderia ter um investimento de indústria automobilística chinesa no Sudeste. Imediatamente, procurei deputados, o Ministério do Desenvolvimento e me coloquei à disposição, preparando Pouso Alegre para esse momento”, diz.

Renato Torres, secretário de Desenvolvimento Econômico em 2012, conversava com consultorias como a Deloitte e a Ernst & Young para se informar sobre a chegada de multinacionais ao país.

COMPETIÇÃO

Segundo Raphael Prado, atual secretário de Desenvolvimento, a competição com cidades próximas, como Extrema, Poços de Caldas e Varginha, para sediar as empresas é grande.

Para diferenciar Pouso Alegre das demais, Prado pediu à Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) a construção de um aeroporto, além de iniciar obras de um gasoduto, com o intuito de levar gás até o distrito industrial.

Fonte: Folha de São Paulo

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje