Sucessão nos governos: imagens e marca – Cesar Maia

1. Num sistema de reeleição, o básico para a reeleição de quem governa é sua imagem, que pode até se descolar da avaliação de seu governo. Mas depois de 2 mandatos, a escolha do sucessor de quem governa é algo mais complexo.

2. Os dois caminhos mais evidentes são: a) colar na imagem –quando muito positiva- de quem sai e transformar o terceiro mandato numa espécie de eleição indireta de quem governa. Assim fez Lula em 2010, realizando uma pré-campanha de longo prazo, colando, lastreando Dilma com sua imagem. b) colar o candidato na marca do governo, na garantia de continuidade daquilo que o governo fez e o eleitor aprova, como ocorreu no Rio em 1996.

3. Dilma já não conta com a transferência pura e simples da imagem de Lula. Conta com sua imagem positiva. Mas seu governo não tem marcas ou, se tem, não são positivas. Para se equilibrar entre estes dois polos, Dilma terá que contar com a “impessoalidade” de seus adversários e com a dificuldade de que estes produzam marcas –como expectativa- num processo eleitoral curto, cortado pela Copa do Mundo no país. Ou seja: sua reeleição, em grande medida, depende da performance de seus adversários.

4. O binômio inflação-economia não a ajuda. Em 1998 FHC foi reeleito com uma inflação de 1,65%. Em 2002, seu candidato foi derrotado com uma inflação de 12,53%. Em 2006, Lula foi reeleito com uma inflação de 3,14%. Em 2010, elegeu Dilma colada à sua imagem, com uma inflação de 5,91%, mas um crescimento econômico de 7,5%. Agora, em 2014 –se repetir 2013- Dilma vai com uma inflação de 6% e um crescimento de 2%. Uma equação que exigirá apelar ao máximo para sua imagem e ainda a de Lula.

5. No caso do Rio, a situação do PMDB é de muito difícil superação. A imagem de quem governa é muito negativa e não poderá ser usada como âncora. O governo Cabral não tem marcas para propor a continuidade. E o perfil de seu candidato não constrói um personagem. Se até julho ficar assim, será um caso perdido.

Fonte: Ex-Blog de Cesar Maia

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje