“Sócios” da Fácil precisam explicar razões do descumprimento das obrigações trabalhistas e outras situações estranhas – Exclusiva

Os sócios da Fácil Serviços –  Caio Lucas Marques Camacan Costa e Carlos Henrique Soares Bispo -, dois ilustres desconhecidos em Alagoinhas, precisam explicar quais os motivos que levam a empresa a descumprir as suas obrigações trabalhistas e outras situações relativas à  atuação da empresa  no município.

Com os altos valores movimentados, que podem ultrapassar R$ 10 milhões em três anos, se for levado em consideração o montante do primeiro contrato assinado em Abril de 2011, a Fácil, aparentemente, possui robustez financeira para honrar seus compromissos.

Os proprietários da Fácil poderiam explicar também porque em Alagoinhas o escritório da empresa está situado no Hotel Trapiche, mais precisamente no endereço comercial do conhecido empresário “alagoinhense”  e arquiteto Lutefledo Carmo Filho, que mantém relação comercial com a prefeitura em outras áreas.

Segundo uma fonte que conversou com o Alagoinhas Hoje, o empresário Guilherme Carmo, responsável pelas obras do Loteamento Santa Terezinha e Mãe Cirila, primo de Lutefledo, e também primo do secretário de Relações Institucionais, Gustavo Carmo, tratou diretamente com o arquiteto sobre indicações de nomes de pessoas para trabalhar na Fácil, que não poderiam ingressar na Prefeitura de Alagoinhas por conta do excesso de contratados e pela proximidade do índice prudencial da folha de pagamento.

Ontem, 9 de Junho, o Alagoinhas Hoje procurou o endereço da Fácil em Salvador, constante na Certidão Simplificada da Junta Comercial emitida em 3 de Junho, e o número 281 não foi encontrado, porque existe um espaço entre os números 295 e 269.

Admite-se que o registro numérico pode ter caído, o que é comum em Salvador, mas o fato pode gerar outras interpretações, que ainda não serão registradas pelo site.

Muitas perguntas precisam ser respondidas.

Por que a Fácil funcionou (ou funciona) em Alagoinhas no endereço de Lutefledo Carmo Filho?

Existe um contrato de locação entre a Fácil e  Lutefledo?

Quando foi assinado este contrato?

Por que pessoas ligadas a Carmo Filho é que resolvem pendências da empresa em Alagoinhas?

Os proprietários da Fácil demonstram capacidade de gestão e estrutura econômica /financeira para controlarem a empresa?

Quais os outros contratos que a Fácil mantém no segmento de terceirização de mão de obra?

Por que a gestão do contrato (de fato) é feita pelo secretário de Governo, João Rabelo?

Como se vê, além das obrigações trabalhistas, que não são cumpridas pela Fácil, a empresa precisa apresentar muitas explicações em relação aos contratos milionários que manteve e mantém com a Prefeitura de Alagoinhas.

Todos os citados, como é de praxe, têm o direito de apresentar suas versões.

O Alagoinhas Hoje as acolherá, mas registra antecipadamente que a sua fonte tem informações seguras sobre as situações aqui expostas.

As informações publicadas nesta matéria serão mantidas pelo site.

 

 

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje