Serra e Suplicy podem ser ministros de Marina, apostam aliados da candidata

Começa a bolsa de apostas para saber quem integrará o ministério de Marina Silva, caso a tendência nas pesquisas não se altere nos próximos dois meses e ela vença as eleições. A coluna conversou com dirigentes partidários que tem convivido com a ex-senadora de forma intensa.

Eles afirmam que Marina fará um governo “tipo Itamar [Franco], com as mesmas maluquices, e de transição”. Vai pedir ajuda “de todos os brasileiros para recuperar a política, vai convocar pessoas com experiência e nome limpo”, diz um socialista. O lado bom: ganha a opinião pública. O lado ruim: perde o Congresso Nacional.

Ao repetir que convocará o “banco de reservas” de cada partido, e elogiar repetidamente José Serra, do PSDB, Pedro Simon, do PMDB, Cristovam Buarque, do PDT, e Eduardo Suplicy, do PT, por exemplo, ela já está, no entendimento de um dos dirigentes, divulgando a sua lista de ministeriáveis, que começa a tomar forma e atualmente, com nomes de oito legendas, seria a listada abaixo:

Walter Feldman (Rede-SP) – Casa Civil
Beto Albuquerque (PSB-RS) – Transportes
Cristovam Buarque (PDT-DF) – Educação
José Serra (PSDB-SP) – Saúde
Eduardo Suplicy (PT-SP) – Direitos Humanos
Sérgio Xavier (PV-PE) – Meio Ambiente
João Paulo Capobianco (Rede) – Cidades
Eduardo Giannetti – Fazenda
Miro Teixeira (Pros-RJ) – Comunicação
Neca Setubal (Rede) – Cultura
Luiza Erundina (PSB-SP) – Desenvolvimento Social
Roberto Freire (PPS) – Justiça
Pedro Simon (PMDB-RS) – Relações Exteriores

Fonte: Folha de São Paulo

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje