SAAE não homologa concurso público e candidatos estão inseguros

A direção do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE), um ano após a publicação do resultado do concurso público realizado em 2012, ainda não convocou os aprovados visando preencher vagas na autarquia em cargos de vários níveis.

Os candidatos estão inseguros porque querem ter o direito de exercer as funções para as quais foram aprovados e o SAAE não emite posição oficial quanto aos encaminhamentos internos que tomará no sentido de homologar o concurso e iniciar as etapas seguintes – convocação dos candidatos, entrega de documentação, exame médico, decreto de nomeação, posse e exercício da função.

Houve problema com a prova prática de Auxiliar de Serviços Operacionais, que teve que ser aplicada novamente em função de uma liminar conseguida na justiça por um candidato.

Com objetivo de ganhar tempo, o SAAE argumentou que só após o resultado final estaria liberado para homologar o concurso e convocar todos os candidatos classificados dentro dos limites das vagas.

O resultado já está disponível há alguns meses e até agora a autarquia não tomou qualquer atitude, descumprindo teor de um ofício do Ministério Público que recomendou a convocação dos aprovados e o desligamento de trabalhadores temporários que atuam nas vagas de profissionais, que legalmente, por intermédio do concurso, passariam a ocupar funções de carreira na empresa.

Especula-se que o SAAE estaria sem condições financeiras de absorver este novo contingente de funcionários, cuja folha salarial seria de aproximadamente R$200 mil por mês.  Mas de outro lado, o ingresso corresponderia à demissão daqueles que exercem funções temporárias.

Uma desculpa esfarrapada de um detentor de cargo de confiança da autarquia beira o ridículo: a empresa está sem recursos para publicar a homologação do concurso no Diário Oficial. Por isso, de acordo com o “funcionário”, a homologação ainda não teria sido efetivada.

O SAAE, apesar das argumentações de seus diretores em veículos de comunicação e do conluio com a imprensa amestrada, é um péssimo exemplo de gestão que a cada dia fica mais visível.

Contradição

Mesmo com suas finanças depauperadas, a autarquia recomeçará em Agosto o lobby na Câmara de Vereadores para garantir um aumento médio de 26%, retroativo a Janeiro, àqueles que exercem cargos de confiança a partir de CC-2.

Uma grande contradição praticada sob os olhos da sociedade e o silêncio da imprensa, abastecida com recursos da autarquia para divulgar suas ações e posicionar a imagem da empresa.

Esquecem uma regra básica em marketing: sem gestão não pode haver construção de imagem positiva.

É preciso trabalhar, implantar novidades e sair do lugar comum para que seja possível estabelecer ações estratégicas para melhorar a percepção da comunidade sobre o SAAE.

Mas nada disso é feito.

 

 

 

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje