Revitalização de represa de Aramari será tema de Audiência Pública no município

Ambientalistas, representantes do poder público estadual, da sociedade civil organizada e moradores da região participam da Audiência Pública que irá discutir a revitalização da represa de Aramari. O evento será realizado neste domingo (20) na Associação Beneficente dos Amigos de Aramari (ABAA), a partir das 9h. Articulado pelo deputado Joseildo Ramos (PT), o evento contará com a organização do Grupo Ambientalista e Social de Aramari (GAMAR) e apoio da prefeitura municipal.

O objetivo da discussão é buscar alternativas de revitalização do local, antigo balneário e cartão postal da cidade, utilizado até como uma pequena hidroelétrica, fornecendo energia para as oficinas de reparação de rede ferroviária. Para isso, Joseildo convidou representantes da Embasa, Funasa, o secretário estadual de Meio Ambiente, Eugênio Spengler e de Desenvolvimento Urbano, Cícero Monteiro. “Existe um sentimento de pertencimento da população muito grande, e ela vai colaborar com esse processo também”, adicionou o deputado.

Recuperação de Nascentes

O tema já foi pauta de reuniões de Joseildo em secretarias, órgãos estaduais e federais. Na Secretaria Estadual de Meio Ambiente, em reunião com secretário Eugênio Spengler e o prefeito do município, Joseildo recebeu não apenas a confirmação do interesse da Secretaria em aderir à causa, como também novas informações. Segundo o secretário, o órgão firmará um convênio com o município para a restauração das sete nascentes, com cercamento e recuperação da mata ciliar. Se localizadas dentro de áreas rurais privadas de até 120 hectares, poderão ser ainda contempladas por uma restauração agroflorestal, ou seja, com plantio de árvores frutíferas nos arredores.

O prefeito recebeu outra boa notícia do secretário. Atendendo a um pedido do deputado, Aramari será o primeiro município da região a receber um convênio para a realização do Cadastro Ambiental Rural, ferramenta criada pelo Novo Código Florestal. A função é regularizar as atividades de propriedades de até quatro módulos rurais (ou 120 hectares) através de um sistema de base de dados estadual. O sistema do cadastro emite um certificado de regularidade que protege o pequeno proprietário de multas, além de dar acesso ao crédito rural, financiamento bancário e seguro agrícola.

Fonte: Assessoria de Comunicação do deputado Joseildo Ramos

 

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje