Reunião emergencial na presidência da Câmara de Vereadores tenta superar crise e enfrentar denúncias da oposição – Maurílio Fontes – Exclusiva

Neste momento, 17h30, acontece uma reunião de emergência na sala da presidência da Câmara de Vereadores com a base do governo, o secretário de Relações Institucionais, Gustavo Carmo, o presidente da Casa, Jorge Mendes, o secretário de Educação, Caio Castro, visando encontrar uma saída para defender o governo frente às denúncias dos vereadores Radiovaldo Costa e Luciano Sérgio em relação à sanção da reforma tributária, que para eles, foi ilegal.

O atual presidente confirmou que ele enviou ao gabinete do prefeito a redação final do projeto de lei da reforma tributária.

A afirmação está na ata da sessão de hoje. Ou seja, a gestão anterior não providenciou o envio da redação final.

Portanto, o prefeito não poderia ter sancionado  a lei 087/2012 no ano passado e assim não cumpriu o princípio tributário da anterioridade/anualidade.

Não se pode aceitar que do nada apareça um ofício do ex-presidente da Câmara de Vereadores, Gustavo Carmo, enviando a redação final para a sanção do prefeito Paulo Cezar.

O protocolo da Câmara desmentiria esta ação pouco inteligente porque a sequência numérica teria que ser deflorada, a partir de um estupro da realidade.

Quem se propõe a ser o estuprador da realidade? Haverá um conluio entre o gestor anterior da Câmara de Vereadores e o atual presidente?

Melhor lembrar um ditado da política mineira: “Conversa de mais de dois é comício”.

O Alagoinhas Hoje está aberto às explicações do ex-presidente e do atual. Mas existem  explicações plausíveis?

 

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje