Publicitário afirma que reforma administrativa não abriu espaços para o PDT

O publicitário Marcelo Oliveira, proprietário da Dinâmica Comunicação & Marketing, uma das mais antigas empresas da área de comunicação de Alagoinhas, entende que a reforma administrativa do prefeito Paulo Cezar não contemplou o PDT, partido do chefe do Executivo. O normal, para ele, seria o partido ter avançado em novas posições neste segundo mandato, que começa amanhã, por ter sido a sigla pela qual o prefeito se elegeu.

E mais do que isso: o publicitário afirma que o ingresso do prefeito no partido foi em um momento de certo desgaste para a  administração, quando poucos analistas políticos contavam com a possibilidade de reeleição de Paulo Cezar.

Para Marcelo, a confirmação de João Rabelo no primeiro escalão não está vinculada à cota do PDT, embora o futuro secretário de Governo, seja filiado ao partido. O mesmo vale para o chefe de Gabinete, Sidney Costa, também filiado à agremiação partidária. “Os dois estão na cota pessoal do prefeito, até porque eles ingressaram no PDT no ano passado, dentro do prazo de filiação determinado em lei para aqueles que desejavam ser candidatos em 7 de Outubro, portanto, não têm vinculações históricas com a sigla brizolista”, disse Marcelo Oliveira ao Alagoinhas Hoje.

Em sua opinião, o PDT, mesmo sendo o partido do prefeito, não foi contemplado com os espaços que deveria ocupar na futura administração de Paulo Cezar. “Os dois secretários – Rabelo e Costa – já acompanham o prefeito há muitos anos em suas campanhas e são diretamente ligados a ele”, finalizou.

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje