Prisão de dono da cervejaria Itaipava tem relação com implantação da fábrica em Alagoinhas

A prisão nesta quarta-feira (31) de seis executivos do grupo Petrópolis, entre eles Walter Faria, controlador do grupo, tem muito a ver com a implantação da fábrica de cervejas Itaipava em Alagoinhas. A história começa em 2013, quando o empresário Walter Faria escolheu a cidade de Alagoinhas, na Bahia, para implantar uma fábrica da cerveja Itaipava e precisava de crédito, conseguindo obter do BNB um empréstimo de R$ 375 milhões.  Já na campanha à reeleição de Dilma  solicitou e conseguiu a dispensa da fiança do empréstimo que fez  para a fábrica na Bahia. Segundo a Polícia Federal, logo depois Faria teria depositado R$ 5 milhões na conta da campanha da ex-presidente.

A presença de Lula na inauguração da fábrica em Alagoinhas também consta das investigações, pois teria sido paga como palestra no valor de R$ 449 mil. Estavam presentes no evento o então governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), ex-ministro do governo Dilma Rousseff e o ex-presidente da Petrobras José Sérgio Gabrielli, o dono do Grupo Petrópolis, além  dos empresários Emílio Odebrecht e Marcelo Odebrecht.

“Eu duvido que a gente tome no mundo uma cerveja melhor que a Itaipava”, disse Lula. “A melhor cerveja que o povo nordestino vai beber. Cerveja de qualidade.” Segundo as investigações a Cerveja Itaipava teria pedido a Lula para dizer que aquela era a melhor cerveja do Brasil.

 

Fonte: Bahia Econômica

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje