Prefeitura mobiliza equipes e intensifica ações de combate à Dengue em Alagoinhas

Além das medidas de enfrentamento ao coronavírus, o combate a arboviroses também foi intensificado em Alagoinhas. Atenta ao período chuvoso, que favorece o ciclo reprodutivo do mosquito transmissor de doenças como Dengue, Zika e Chikungunya, a Prefeitura mobilizou equipes de combate a endemias, que atuam com estratégias e ações contínuas nos bairros. Os profissionais realizam inspeções, fiscalização de depósitos e pulverização espacial nos logradouros adjacentes às áreas onde foram registrados casos de arboviroses.

Na última semana, as equipes estiveram na região do 21 de Setembro, na Praça Kennedy e na Thompson Flores. Um trabalho de controle vetorial também foi iniciado na Praça Santa Isabel e as equipes atuaram com bloqueio no Jardim Petrolar, com foco em reduzir os índices de infestação do mosquito.

Foto: Divulgação

De acordo com a secretária municipal de saúde, Rosania Rabelo, mesmo diante da pandemia do coronavírus, o trabalho de combate a arboviroses permanece, ininterruptamente, e os profissionais seguem as recomendações estabelecidas pelas autoridades de saúde no que se refere ao uso de equipamentos de proteção individual e a medidas de higiene. As visitas domiciliares estão restritas à área externa, no caso de residências com moradores idosos, gestantes ou com circulação de crianças, conforme estabelecido em portaria ministerial.

Foto: Roberto Fonseca

A coordenadora de endemias, Telma Pio, salientou que as equipes trabalham com plantões inclusive aos finais de semana e chamou a atenção quanto à importância do envolvimento da comunidade para as ações efetivas de combate à Dengue, Zika e Chikungunya. “Pedimos aos moradores que cuidem dos seus quintais, evitando o acúmulo de água parada. Pequenos depósitos, como latas, plásticos e cascas de ovos, que fazem parte do lixo doméstico, devem ser acondicionados adequadamente para serem coletados pelo serviço de limpeza pública, porque, quando despejados de forma irregular, podem se tornar criadouros do mosquito”, pontuou Telma Pio.

A SESAU informou que o setor conta agora também com o apoio de um drone, que será utilizado no monitoramento de pontos críticos e no mapeamento para uma análise mais detalhada das regiões com maior índice de infestação.

Foto: Divulgação

 

Fonte: SECOM PMA

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje