Por falta de giroflex, motocicletas da Guarda Municipal de Alagoinhas estão paradas há mais de seis meses – Exclusiva

MOTOS PARADAS 1Repassadas pelo Ministério da Justiça à Prefeitura de Alagoinhas como parte das ações do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci), quatro motocicletas que deveriam ser utilizadas pela Guarda Municipal estão paradas há mais de seis meses por falta do giroflex, item exigido para “veículos” de segurança. 

As motocicletas estão na sede da Guarda Municipal, situada na antiga Faculdade de Formação de Professores de Alagoinhas (FFPA), hoje Biblioteca Maria Feijó, e nunca foram usadas para os fins a que se destinam (vigilância do patrimônio público, por exemplo). Sem a adaptação, as motocicletas não podem rodar.

Em conversa com o editor do Alagoinhas Hoje na noite desta segunda-feira, Jean Ander Martins, secretário municipal de Administração, afirmou que  o pagamento à empresa fornecedora do giroflex será efetuado até a próxima sexta-feira. “Será a mesma empresa que colocou os equipamentos nos veículos da Guarda Municipal”, pontuou, acrescentando “que o secretário da Fazenda, Renato Almeida, estava focado no pagamento da folha de pessoal”.

O vereador Radiovaldo Costa, que fez a denúncia ao site, salientou que a administração municipal demonstra desorganização e impõe prejuízos à sociedade alagoinhense por não prestar os serviços definidos no Pronasci em razão de um problema simples, que não exige grandes recursos. “Farei denúncia ao Ministério da Justiça registrando que a Prefeitura de Alagoinhas descumpriu aquilo que foi acordado com o governo federal”, disse. 

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje