PM inicia Curso Nacional de Promotor de Polícia Comunitária

Curso Nacional de Promotor de Polícia Comunitária Foto: Elói Corrêa/GOVBA
Polo nacional de disseminação do Sistema Koban (modelo de policiamento comunitário aplicado pela polícia japonesa há mais de 100 anos), a Bahia iniciou, na manhã desta segunda-feira (6), a sétima turma do Curso Nacional de Promotor de Polícia Comunitária. A capacitação, que vai até sexta-feira (10), é realizada na sede da Academia da Polícia Civil do Estado da Bahia (Acadepol), no bairro do Cabula, em Salvador, onde policiais militares de Bases Comunitárias de Segurança (BCS), companhias e batalhões são estimulados e orientados sobre o modelo de policiamento que preza pela aproximação entre polícia e comunidade.
“O curso é voltado para agentes de segurança pública e nos dá uma visão mais humanista no tratamento com o cidadão. Isso sem dúvida amplia a qualidade dos serviços de segurança”, explicou o capitão  Leandro Santana, chefe da Seção de Multiplicação Doutrinária do Departamento de Policiamento Comunitário e Direitos Humanos (DPCDH).
Disciplinas, como direitos humanos, relações interpessoais e mediação de conflitos fazem parte da matriz curricular nacional definida pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) e que é aplicada pelo Estado desde 2011. Em cinco anos, o curso já capacitou 4,6 mil policiais, tendo 505 militares concluído o curso no primeiro semestre de 2016.  Até o dia 10 de junho, a sétima turma do curso, que conta com cinquenta participantes, terá acesso a conhecimento teórico.
De acordo com a soldado da BCS Calabar, Rair Valente, o exercício do policiamento comunitário ajuda a desconstruir concepções ultrapassadas da relação polícia-comunidade. “A capacitação é muito valiosa. Ela mostra que os policiais estão do lado do cidadão e não é um mero repressor. O policiamento comunitário aproxima a polícia da comunidade para garantir o apoio ao cidadão”, ressaltou.
A Bahia é um dos oito estados brasileiros escolhidos pela Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça (Senasp/MJ) para disseminar a cultura de policiamento comunitário no país. Os policiais militares baianos que trabalham em Bases Comunitárias de Segurança vão desempenhar a função de agentes multiplicadores do modelo, tendo como responsabilidade a capacitação na região Nordeste. Também são polos disseminadores os estados do Espírito Santo, Rio de Janeiro, Amazonas, Paraná, Goiás e o Distrito Federal.
Novas vagas
No segundo semestre deste ano, o Curso Nacional de Promotor de Polícia Comunitária terá vagas abertas para todo o país. Para participar, o interessado deve entrar em contato com o Departamento de Polícia Comunitária e Direitos Humanos (DPCDH) por meio do telefone (71) 3115-9369 ou através do e-mail policia.comunitaria@pm.ba.gov.br. É necessário comprovar, por meio de documentos, que está em serviço ativo como policial militar.
Fonte: Secretaria de Comunicação – Governo da Bahia – Foto: Elói Corrêa/GOVBA

 

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje