Pioneiro na internet, iG completa 15 anos nesta sexta-feira

Com a missão de democratizar a internet brasileira desde sua formação, o iG completa 15 anos nesta sexta-feira (9). Primeiro portal a oferecer notícias em tempo real no Brasil, com o canal Último Segundo, o iG se solidificou como referência na web por sua vocação digital e inovadora.

O iG foi lançado em janeiro de 2000, e em dezembro do mesmo ano, era o portal mais acessado nos domicílios do País, recebendo 2,2 milhões de visitantes únicos em sua homepage – em média 22% dos internautas brasileiros. Quinze anos depois, o iG contabiliza 2,3 milhões de contas de e-mail de usuários ativos e tem audiência mensal de 30 milhões de visitantes únicos. Passaram pelo portal grandes nomes da comunicação brasileira, como Nizan Guanaes, Martinas Suzuki Jr. e Caio Túlio Costa.

A equipe que produzia o iG nos primeiros dias de janeiro de 2000 decidiu antecipar o lançamento do provedor em dois meses. Na época, rumores alertavam para a entrada iminente de provedores de acesso gratuito no mercado de internet. E sair com o primeiro serviço “internet grátis” significava uma vantagem competitiva enorme e garantiria o pioneirismo ao iG.

Na noite do dia 9 de janeiro, o iG estreou apenas com a ilustração de bonequinhos animados, fazendo polichinelo, e a mensagem “Estamos só aquecendo… Em março, um novo portal” em sua página inicial. Dois meses depois, o portal foi ao ar, abrigando sites de parceiros e do iG, como o Babado e o próprio Último Segundo, que estavam no ar desde o fim de 1999.

O lançamento foi marcado por uma série de comerciais em horário nobre com o ator Thiago Lacerda e a questão: se você não paga nada para assistir sua novela favorita, por que pagar para acessar a internet?. A resposta foi imediata: em menos de um mês, 500 mil pessoas se cadastraram como usuárias do iG – a expectativa da empresa era atingir a marca em um ano.

Jornalismo online

Após revolucionar o mercado oferecendo acesso gratuito à internet, o iG criou as novas dinâmicas do jornalismo online. O brasileiro já buscava velocidade de informação na internet, mas encontrava uma notícia nova a cada 35, 40 minutos em outros portais. O Último Segundo foi criado como o primeiro jornal feito especificamente para a internet no Brasil inovou na rapidez da informação, com um software de publicação norte-americano com publicação de notícias novas quase a cada minuto.

O iG havia adquirido os direitos para usar na internet o nome do jornal impresso Última Hora, criado pelo jornalista Samuel Wainer na década de 50 e fechado na década de 60. O nome não foi usado porque “uma hora” era um tempo longo demais para a internet. O canal seria então chamado de Último Minuto. Às vésperas do lançamento, no entanto, a direção percebeu que Último Segundo completava o conceito de velocidade que o usuário brasileiro desejava.

O cachorrinho

Foi de Nizan Guanaes, publicitário, ex-presidente e um dos sócios fundadores do iG, a ideia de ter um cachorro como garoto-propaganda. Ele acreditava que seria importante para tornar a relação com a internet mais amigável. Naquela época, a avaliação era de que a web intimidava as pessoas. O objetivo era criar um ícone que despertasse vínculos emocionais e transformasse o ambiente online em um local confortável.

Em um escritório da Agência Click, na sala de um prédio na avenida Luis Carlos Berrini, em São Paulo, a raça escocesa West Highland White Terrier, ou Westie, desbancou a concorrência. O que muitos não sabem é que o “cachorrinho” era na verdade uma cadela, chamada Micky, importada de Los Angeles, onde nasceu. A imagem do mascote pegou e “o cachorrinho do iG” virou um fenômeno. Até hoje ele ocupa o canto superior esquerdo do portal e ganha novas roupagens em datas comemorativas.

Novos desafios

O portal foi comprado em abril de 2012 pelo grupo Ongoing (nome que foi substituído nos meses seguintes por Realtime Corp.), dono dor maior jornal de economia e de um canal de informação econômica em Portugal. No Brasil, a empresa é acionista minoritária do grupo Ejesa, que edita os jornais Brasil Econômico, O Dia e Meia Hora.

A parceira com a Realtime Corp, grupo de tecnologia presente também nos Estados Unidos e Europa, resultou em novos avanços tecnológicos para o iG, como a tecnologia Realtime, que reduziu o tempo entre uma ação do usuário e a visualização dessa interação. Atualmente, o iG usa essa tecnologia na página do Último Segundo, na lista dinâmica das notícias mais lidas na página inicial do portal, no sistema de comentários das matérias e nas enquetes.

Fonte: iG

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje