Pinheiro deve abandonar PT para ser o “grande peixe” da Rede

650x375_walter-pinheiro-ilustracao_1587130

Ainda mais isolado dentro do Partido dos Trabalhadores após votar pela manutenção da prisão determinada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) contra o senador Delcídio do Amaral (PT/MS), o destino do senador baiano Walter Pinheiro desenha-se para sua saída da sigla e desembarque na Rede Sustentabilidade. Delcídio foi preso acusado de atrapalhar as investigações da Lava Jato.

O jornalista Lauro Jardim, em coluna no jornal O Globo publicada na sexta-feira, 27, dava como certa a ida do senador baiano e do colega e correligionário gaúcho Paulo Paim, que também votou pela manutenção da prisão de Delcídio, para o partido criado pela ex-petista acreana.

O senador Walter Pinheiro, por sua vez, não fala sobre o assunto – ele não retornou os contatos feitos por A Tarde pelo celular e pela assessoria de imprensa. O coordenador nacional de formação política da Rede, Júlio Rocha, disse que há conversas entre os dois petistas e o senador Randolfe Rodrigues (Rede/AP), entretanto disse que tudo está sendo feito com cautela.

“Que Pinheiro e Paim dialogam com o nosso líder no Senado (Randolfe) é indiscutível. Ter mais um parlamentar no partido é importante, mas o parlamentar não é tratado como se fosse mais importante que os outros militantes”, disse Rocha, que é coordenador-geral na Rede na Bahia, e ressaltou o bom relacionamento com Pinheiro: “Tenho um relacionamento fraterno com ele há mais de 20 anos”.

Diz que fica

O presidente estadual do PT, Everaldo Anunciação, disse que, na última conversa que teve com Walter Pinheiro, ela teria garantido que permaneceria no partido. Mas, perguntado sobre quando ocorreu esta conversa, respondeu: “foi há mais de um mês”.

Everaldo Anunciação não criticou diretamente Pinheiro por conta de seu voto na histórica sessão do dia 25, mas comentou que “é preciso tomar cuidado para que malabarismos jurídicos não sejam um regra”.

Os senadores que votaram contra a decisão do STF entenderam que as gravações que mostram os atos para atrapalhar as investigações da Lava Jato não constituiriam flagrante, exigência para que um senador seja preso no exercício do mandato.

Daquele dia para cá a situação do senador no partido mudou e, inclusive dentro da bancada, as relações parecem não ser mais a mesma. Desde a prisão de Delcídio, lidera o bloco de governo o senador  José Pimentel (PT/CE) que não é, porém, o preferido dos peemedebistas.

Pinheiro seria um dos nomes para conduzir a bancada, pois agrada mais aos peemedebistas e também por parte da oposição, justamente por conta da posição firme com que trata assuntos na Casa. O mais provável, pelo que indicam os corredores do poder, é que o senador baiano decida com Paim e Randolfe quem liderará a bancada da Rede, que passaria a ter três senadores.

Fonte: A Tarde

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje