Para evitar atraso, compras de Natal na web devem ser feitas até 2ª

Atrasos na entrega devem continuar a ser uma das principais queixas dos consumidores online no período do Natal, disse o presidente do Reclame Aqui, Maurício Vargas. No ano passado, esse tipo de reclamação correspondeu 38% das 98 mil registradas no site entre 1º de novembro e 25 de dezembro.

Para não perder a troca de presentes, Vargas alerta: quem não comprar até segunda-feira (16) tem grandes chances de não receber o produto a tempo.

“O Brasil é um país de dimensões continentais e tem uma questão tributária complicada no deslocamento entre os Estados”, explica.

A distribuição secundária, que é feita dentro das cidades, é outro problema. “São empresas terceirizadas que fazem a entrega para os bairros e não há controle de qualidade.”

Vargas acrescenta que quem antecipou as compras na Black Friday –dia de promoções que aconteceu em 29 de novembro– deve ficar ainda mais atento. Isso porque o volume de vendas foi tão grande que as empresas ampliaram os prazos, mas podem não cumpri-los.

A assessora técnica do Procon-SP Flávia Lemos recomenda que os consumidores programem a entrega para, no máximo, uma semana antes do Natal.

No entanto, nem sempre o planejamento dá certo. A auxiliar de vendas Ivânia Carvalho, 27, comprou no ano passado, em uma loja online, um videogame para presentear o sobrinho.

NATAL NO ANIVERSÁRIO

O eletrônico chegou em janeiro e transformou-se em presente de aniversário. “Agora evito comprar em sites no final do ano. É muito cheio, a chance de dar problema é grande.”

Lemos diz que as empresas são obrigadas a cumprir os prazos prometidos. Caso não o façam, o cliente pode pedir o cancelamento da compra, trocar o produto por outro de mesmo valor, ou até entrar com um processo.

“Se sentir lesada, a pessoa pode até alegar danos morais”, disse.

Além disso, segundo o Código de Defesa do Consumidor, para compras à distância (por telefone, internet ou outro meio) o cliente tem sete dias, a partir da aquisição, para desistir.

Há também canais de reclamação, como o atendimento eletrônico do Procon-SP e o site Reclame Aqui.

Fonte: Folha de São Paulo

 

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje