Lucro líquido do Bradesco cresce 4,5% no primeiro trimestre para R$ 2,9 bilhões

O Bradesco inaugurou nesta segunda-feira (22) a temporada de balanços do setor com a divulgação de um lucro líquido de R$ 2,919 bilhões no primeiro trimestre deste ano, 4,5% superior ao valor registrado em igual período de 2012.

O lucro líquido ajustado, que descarta eventos extraordinários, ficou em R$ 2,943 bilhões, 3,4% acima da cifra registrada um ano antes.

A carteira de crédito do segundo maior banco privado do país cresceu 11,6% no primeiro trimestre desse ano em relação ao valor registrado nos três primeiros meses do ano passado, para R$ 391,682 bilhões.

Em relação aos R$ 385,529 bilhões registrados no último trimestre de 2012, a carteira de crédito do Bradesco cresceu 1,6%.

As operações com pessoas físicas totalizaram R$ 119,231 bilhões, crescimento de 8,7% em relação a março de 2012, enquanto as operações com pessoas jurídicas aumentaram 13% na comparação anual, somando R$ 272,451 bilhões ao final do primeiro trimestre deste ano.

A inadimplência, medida pelo saldo de operações vencidas com mais de 90 dias, ficou em 4% ao final de março, ligeiramente abaixo dos 4,1% vistos um ano antes e nos três últimos meses de 2012.

O banco fez provisões para perdas com créditos de baixa qualidade de R$ 21,359 bilhões no primeiro trimestre do ano, praticamente estável sobre o último trimestre de 2012 (R$ 21,298 bilhões), mas 6,2% acima do valor registrado entre janeiro e março do ano passado (R$ 20,117 bilhões).

PATRIMÔNIO

O patrimônio líquido do banco somou R$ 69,442 bilhões ao final de março deste ano, 19,6% acima dos R$ 58,059 bilhões vistos em igual período de 2012. Houve queda, porém, em relação aos R$ 70,047 bilhões registrados em dezembro.

Já a rentabilidade sobre o patrimônio do Bradesco, índice usado para medir como os bancos remuneram o capital dos acionistas, ficou em 19,5% no final do primeiro trimestre deste ano. O valor havia sido de 21,4% no mesmo período de 2012 e 19,2% entre outubro e dezembro do ano passado.

Ao final do mês passado, os ativos totais do Bradesco alcançaram R$ 894,467 bilhões, alta de 13,3% em relação ao primeiro trimestre de 2012.

O índice de Basileia, que determina a quantidade mínima de capital total que um banco precisa ter em relação ao seu ativo para que seu risco de solvência seja aceitável, ficou em 15,6% no primeiro trimestre de 2013. Houve crescimento de 0,6 ponto percentual na comparação com igual período de 2012 e queda de 0,5 ponto percentual em relação ao último trimestre do ano passado.

Fonte: Folha de São Paulo

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje