Jornalista português visita Entre Rios para divulgar o litoral norte

O jornalista e diretor da Revista “País Económico” de Portugal, Jorge Alegria, está em Entre Rios para conhecer a cidade como parte da preparação para elaborar a próxima edição da revista, intitulada “Bahia e Portugal”.

Formado em Direito, Jorge Alegria é pós-graduado em Comunicação Social em Lisboa desde 1988 e em maio de 2002 fundou a revista “País Económico”, um veículo de comunicação voltado para a economia portuguesa, mas que sempre teve dois olhares para o exterior da economia local: a relação entre Portugal e Espanha e a chamada lusofonia, ou seja, os países de língua portuguesa, em especial o Brasil pela sua dimensão, potencial econômico e relacionamento histórico com Portugal.

Esta edição será publicada simultaneamente em Portugal e na Bahia e, posteriormente em outros estados brasileiros.

Jorge Alegria passará ainda por Esplanada, Conde e Jandaíra.

Em entrevista concedida à assessora de comunicação da Prefeitura de Entre Rios, o jornalista destacou o objetivo da pauta de sua revista na Bahia, a importância de estreitar as relações dos países de língua portuguesa, sobretudo, Brasil e Portugal e as potencialidades do Nordeste.

JORNALISTA PORTUGUES

Fabiana Batista: Ao escolher a Bahia, qual seu grande propósito?

Jorge Alegria: Permitir aos leitores portugueses da “País Económico” e empresários espanhóis que também nos leem do grande potencial da Bahia para investimentos e para negócios.

FB: Você fez uma entrevista com o prefeito de Entre Rios Fernando Madeirol em outubro de 2012.  O que te motivou a vir à cidade e fazer uma nova matéria?

JA: Foi uma matéria muito gratificante com o prefeito Fernando Madeirol. Depois disso, fiz muitas pesquisas sobre o município que me transmitiu uma noção do alto potencial turístico e industrial que a prefeitura de Entre Rios possui para investimentos, seja nacional ou estrangeiro. Então sabendo disso, vim conhecer in loco juntamente com os gestores e empresários locais esse potencial e mostrar aos empresários portugueses e espanhóis.

FB: Qual (s) setor(es) você considera como potencial(is)

JA: O turismo. A faixa litorânea de Entre Rios tem um forte potencial para que os empresários venham acrescentar valor, fazer investimentos, criar emprego e renda. Empresas como o Grupo Pestana, Tivoli e Sana que já estão na Bahia podem e devem, no meu ponto de vista, expandir além da Praia do Forte, pois Entre Rios, Conde, Esplanada e Jandaíra também têm potencialidades para unidades hoteleiras. Entre Rios está localizada na BR 101, que é uma infraestrutura rodoviária que atravessa todo o território brasileiro, logo é um potencial logístico inigualável.

FB: O Nordeste é a bola da vez?

JA: Esse é o discurso que estamos ouvindo muito em Portugal. O Nordeste brasileiro em geral e a Bahia em particular, é a bola da vez, ou seja, é aqui que estão as oportunidades. Ainda é um território que não está demasiadamente ocupado e, portanto, existindo potencial, oportunidades, um povo acolhedor e com capacidade para ajudar os investidores a concretizar os seus negócios. Afirmo mais uma vez que aqui, como vocês brasileiros dizem, é a bola da vez. (risos)

FB: Você considera que a falta de capacitação seja o principal entrave na região?

JA: Às vezes a falta de capacitação traduz ela própria uma oportunidade. São nas dificuldades que surgem as grandes oportunidades. Empresas portuguesas que se instalarem aqui, trará também a prestação de serviços na área de capacitação para ajudar as pessoas que querem se desenvolver humana e profissionalmente e se habilitarem para desenvolver suas funções.

Fonte: Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Entre Rios – Foto: Divulgação

 

 

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje