Investidores podem continuar confiando no Brasil, pede Nelson Barbosa

barbosa

Recém-empossado ministro da Fazenda, Nelson Barbosa fez um movimento de aproximação ao mercado, dizendo que os investidores não precisam perder a confiança no país. O substituto de Joaquim Levy prometeu trabalhar “incansavelmente” na nova função, e disse que tem consciência das tarefas do ministério na formulação e liderança das iniciativas de política econômica.

“Apesar das turbulências econômicas e políticas dos últimos meses, os investidores nacionais e internacionais podem continuar confiando no Brasil. Vocês podem ter certeza que trabalharei incansavelmente no Ministério da Fazenda para transformar nosso potencial de desenvolvimento, em oportunidades concretas de negócios e de investimentos para as empresas e de emprego e melhoria de vida para a população”, afirmou.

Durante um rápido discurso, Barbosa repetiu algumas das medidas que pretende implantar nos próximos meses, e que já havia sinalizado na última sexta-feira, após ser anunciado pela presidente Dilma Rousseff. Uma das mais significativas será o envio de uma proposta de reforma da previdência ao Congresso Nacional ainda no primeiro semestre de 2016.

Dizendo que pretende avançar nas reformas microeconômicas, Barbosa disse que algumas delas já estão em andamento. Em referência à tributária, ele defendeu que não “podemos nem devemos” reduzir a carga no momento em que se busca o reequilíbrio fiscal, mas que o foco será a simplificação dos tributos.

Quanto ao controle da inflação, o novo ministro da Fazenda garantiu que o Banco Central continuará tendo autonomia, mas disse que a sua pasta pode ajudar na tarefa por meio do reequilíbrio fiscal e do aumento da produtividade, que criam condições para o aumento dos lucros e dos salários dos trabalhadores. “O aumento da produtividade é o principal foco da nossa politica econômica. Temos que agir com senso de urgência, mas também temos que agir com serenidade”, afirmou.

Barbosa prometeu ainda trabalhar em conjunto com outros órgãos da esfera federal e estadual, como demais ministérios, governadores e prefeitos, além de “fortalecer o diálogo com o Congresso Nacional”. “Também tenho plena convicção de que não basta ao ministério da Fazenda elaborar propostas, pois também tem o dever e a missão de construir consenso em torno das medidas necessárias para o desenvolvimento econômico e social de nosso país”, declarou.

Fonte: iG

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje

Menu de Topo