Internet e jornalismo

(Pedro Doria – Globo, 17)1. Um dos efeitos da internet sobre o jornalismo foi a fragmentação. Se esperávamos que o noticiário escrito chegasse diariamente à porta de casa, bem editado e organizado, a web mudou isso. É da natureza do meio. Na web, é natural que o critério do tempo se sobreponha ao da importância da notícia. A manchete do site é algo que ocorreu recentemente, não o que foi mais importante no dia. Blogs, reforçando a importância do que é mais recente, ampliaram esta percepção das notícias que vêm numa torrente sem fim. O Twitter, resumindo em cento e tantos toques o que há para ser dito, jogou a pá de cal. O modelo é sólido.

2. É da natureza da web um jornalismo mais ligado na notícia do que em sua compreensão. Mais ligado nos fatos do que na reflexão. Mas Ev provavelmente abandonou, ao longo da digitalização do mundo, outros lados da imprensa. Porque continua havendo imprensa reflexiva, que tanto busca fatos quanto se debruça para compreender o que dizem. Na internet, ela é mais rarefeita.

3. O Twitter é uma empresa bem mais modesta do que o Facebook. O valor final do negócio deve ficar na casa dos US$ 15 bilhões contra os quase US$ 100 bilhões do primo grande. É, aparentemente, também um negócio mais bem gerido. E Twitter é uma delícia de usar para quem gosta de se manter informado. Tem imensas qualidades. Jornalismo bom, porém, continua caro de fazer.

Fontes: (Pedro Doria – Globo, 17/09)/ Ex- Blog de Cesar Maia

 

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje