Homem procurado por morte e tentativa de homicídio

policia-ilustrativa

Para a Polícia Civil, Boaventura Oliveira Santos, de 49 anos, o Lelo, é o principal suspeito pela morte da irmã adotiva, Edith Gomes da Paz, 56, e pela tentativa de homicídio contra a mãe adotiva, Anna de Vecchi de Castro Nogueira, 71.

Dona Anna foi levada ao Hospital Geral do Estado (HGE) e, até a noite desta sexta-feira, 1º, permanecia internada em estado grave. Lelo fugiu.

Mãe e filha foram brutalmente agredidas com uma viga de madeira, enquanto dormiam no apartamento de número 402 do edifício Caravelle, na rua Desembargador Oscar Dantas, na Graça. A idosa morava com os dois filhos no imóvel.

Durante o levantamento cadavérico, não foi possível estabelecer se o crime ocorreu no final da noite de quinta-feira ou na madrugada desta sexta. “Não foi hoje [sexta-feira] de manhã. O corpo já estava em estado de rigidez”, afirmou a perita criminal Catileia França, do Departamento de Polícia Técnica (DPT).

De acordo com  o delegado Líbio Otero, do Departamento de Homicídios (DHPP), as vítimas foram encontradas, por volta das 7h da manhã desta sexta, pela empregada da família e pelo porteiro do prédio.

“A empregada chegou, bateu na porta e, como não foi atendida, ligou para a outra filha da senhora, que está em São Paulo fazendo um curso, e pediu autorização para arrombar a porta”, informou Otero.

Segundo ele, após vistoria, não havia sinais de luta corporal no imóvel. As mulheres estavam sobre as camas de dois, dos três quartos do apartamento.

Transtornos mentais

O delegado Líbio Otero revelou que, no apartamento, foram encontrados documentos do Hospital Psiquiátrico Juliano Moreira em nome de Lelo. De acordo com ele, os relatórios indicam que o suspeito tem transtornos mentais e faz uso de medicamento controlado.

“Acho que ele tem algum problema, tem um tique nervoso (movimento involuntário do corpo). Às vezes, encontrava ele no elevador. Todo caladão, paradão, não falava nada”, contou Ricardo Pereira, 35, morador do 10º andar.

Ainda de acordo com Pereira, a família morava no prédio há pouco mais de cinco anos. Nenhum familiar foi localizado para comentar o fato.

Fonte: A Tarde

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje