Governo municipal utiliza argumentos emocionais para barrar moção de repúdio

A segunda-feira foi de muitas articulações dos operadores políticos do governo municipal para barrar a votação da moção de repúdio contra a secretária de Infraestrutura e Planejamento Urbano, Sonia Fontes, que na semana passada destratou o vereador Gilson Guimarães (PTC) por ele ter se posicionado contrariamente ao projeto de privatização da rodoviária.

De forma pouco convincente, o núcleo político do governo municipal argumentou que a secretária está enfrentando uma situação familiar que teria sido a responsável pelas agressões ao vereador.

Uma fonte disse ao Alagoinhas Hoje que a secretária, em razão de seu temperamento forte, causou no ano passado constrangimento no interior do governo por ter sido deseducada com dois secretários municipais.

A informação invalida os argumentos emocionais utilizados pelos estrategistas do governo, pois os fatos da última quinta-feira na Câmara de Vereadores não são situações isoladas na trajetória da secretária de Infraestrutura, que segundo a fonte do Alagoinhas Hoje, gosta de ter suas determinações acatadas de pronto.

A moção poderá não prosseguir, mas o desgaste político que  a secretária sofreu é incontestável.

Ela se colocou à disposição para conversar com os vereadores.

Mais do que uma mera conversa, a secretária deve desculpas à Câmara de Vereadores de Alagoinhas.

 

 

Maurílio Fontes

Proprietário, jornalista, diretor e responsável pelo Portal Alagoinhas Hoje